António Costa convida construção portuguesa para investimentos até 2030

Primeiro-ministro quer que as obras de infraestruturas durante os próximos 10 anos não sejam executadas apenas por construtoras internacionais.

O primeiro-ministro, António Costa, convidou as empresas portuguesas para a construção de infraestruturas ao longo dos próximos 10 anos. O desafio foi lançado esta quinta-feira no final da apresentação do programa de investimentos para 2030 (PNI2030), no auditório do LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa.

"As empresas da construção portuguesas que subsistiram nos últimos 15 têm trabalhado mais fora de portas. Este esforço enorme de investimento público não pode ser simplesmente externalizado. Espero que seja uma forma de fortalecer a nossa indústria de construção, que terá de continuar a ser robusta, como os países modernos", desafiou o chefe de Governo na sua intervenção.

António Costa, no mesmo discurso, lembrou que "não há nenhum país que produza bens e serviços de alto valor acrescentado se não for dotado de boas infraestruturas internas e para a exportação". O primeiro-ministro assinalou também: "não nos vamos desenvolver só com mais produção agroalimentar e mais indústria e depois podemos prescindir de novas infraestruturas".

O PNI2030 é o programa que prevê perto de 43 mil milhões de euros de investimento para os próximos 10 anos, em áreas como as infraestruturas, ambiente e energia e ainda projetos de regadio.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de