aviação

Antonoaldo Neves: “A pontualidade é a nossa prioridade número um”

Antonoaldo Neves, presidente da Comissão Executiva da TAP. (Fotografia: D.R.)
Antonoaldo Neves, presidente da Comissão Executiva da TAP. (Fotografia: D.R.)

Antonoaldo Neves reage a declarações do presidente da APAVT e diz estar disponível para dialogar com os agentes de viagem.

“Não consigo discutir uma afirmação dessas sem dados e factos”. Foi assim que o presidente da Comissão Executiva (CEO) da TAP, Antonoaldo Neves, reagiu pela primeira vez às declarações do presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que criticou a performance da companhia aérea nacional.

“O nosso maior problema, neste momento, é a performance da TAP. Isso é que nos preocupa, porque é a má ‘performance’ da TAP que temos de gerir todos os dias junto dos nossos clientes. Neste momento, a TAP à cabeça tem uma ‘performance’ de pontualidade muito, muito desagradável”, afirmou Pedro Costa Ferreira à Lusa, na véspera do 44º Congresso da APAVT, realizado em Ponta Delgada.

Antonoaldo Neves encolhe os ombros e diz tratar-se de “uma mera afirmação”. “A pontualidade é a nossa prioridade número um”, assume, deixando depois uma mensagem: a da TAP “está a melhorar brutalmente”. Mas, neste ponto, foi ainda mais longe, garantindo que, hoje, “a pontualidade da companhia era de 94,5%”, num total de 131 voos realizados.

Ainda à margem da cerimónia de entrega do A330-900 neo em Toulouse, França, o gestor da transportadora aérea tentou acalmar os ânimos, admitindo que “a TAP valoriza bastante os agentes de viagem” e está disponível para dialogar.

A TAP é detida em 50% pelo Estado, através da Parpública, em 45% pelo consórcio da Atlantic Gateway e em 5% pelos trabalhadores.

*A jornalista esteve em Toulouse, França, a convite da TAP.

*Última atualização às 22:40.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

O sismo da Terceira de 1980
(Arquivo DN)

Risco de sismo é real. Seguradores querem fundo prioritário no próximo governo

João Galamba, Secretário de Estado da Energia 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

João Galamba: “Há diferença entre encontrar rendas excessivas e cortá-las”

Outros conteúdos GMG
Antonoaldo Neves: “A pontualidade é a nossa prioridade número um”