APAVT: Greve tem de ser desconvocada já, sob pena de prejuízos irreparáveis no turismo

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) reuniu, esta manhã, com o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, a quem deixou um alerta:

“O dead-line para se chegar a um acordo [entre a TAP e a SATA e o Governo para cancelar a greve], já tardio, não se pode estender além deste fim de semana, sob pena de ser inconsequente”.

“O simples anúncio desta greve já deu origem a uma vaga de
cancelamentos de difícil recuperação, tanto no outgoing como no incoming, em
cada dia que passa a situação agrava-se”, considerou Pedro
Costa Ferreira, presidente da APAVT. A “eventual desconvocação da greve, a ter lugar apenas na sua véspera, será um
fracasso”, segundo o representante das agências de viagens, “pois o mal estará feito e sem recuperação possível”.

Tendo apelado “ao bom senso e
patriotismo das partes”, a APAVT deixou ainda o apelo de, caso não venha a ser desconvocada imediatamente a greve, para que o Governo avance para a requisição civil que, não eliminando as consequências. “Poderá
mitigar parte do impacto negativo sobre o Turismo e a economia
nacional”, considera a associação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, momentos antes de falar aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, 3 de setembro de 2020. MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Défice público chega a 6,1 mil milhões em agosto, mas suaviza face a julho

Fotografia: Paulo Jorge Magalhães/Global Imagens

Sinistros automóveis sem seguro custaram 4,7 milhões

Bosch testes rápidos

DGS aprova testes rápidos à covid da Bosch. Primeiro evento é a Volta a Portugal

APAVT: Greve tem de ser desconvocada já, sob pena de prejuízos irreparáveis no turismo