Competição

Apps for Good. Jovens finalistas aprendem a melhorar ‘pitch’ antes da final

A carregar player...

A final do programa Apps for Good está marcada para esta sexta-feira. Antes do Dia D, quatro equipas puderam treinar a apresentação e receber mentoria

O programa Apps for Good desafiou várias escolas nacionais a desenvolver aplicações que pudessem resolver problemas ligados aos 17 Objetivos para Desenvolvimento Sustentável.

As 22 equipas finalistas, com participantes dos 8 aos 18 anos, vão subir ao palco da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, para apresentar a sua aplicação. O pitch tem uma duração que desafia as capacidades de qualquer empreendedor, inclusive dos graúdos: têm apenas dois minutos para apresentar a ideia e convencer os jurados.

Por isso, quatro equipas rumaram à Galp, uma das empresas envolvidas no projeto, para testar as águas e melhorar o pitch. Com atenção ao tempo, as equipas as equipas ‘Color You’, ‘Johnny APRENDE’ ou ‘eCOa’ fizeram uma simulação da apresentação e ouviram quais os pontos que podem melhorar. A mentoria foi assegurada por profissionais da Galp, de áreas como o marketing, por exemplo, e também da Apps for Good.

Além de quebrar qualquer nervosismo antes da final, os mais novos perceberam quais as arestas que ainda podem limar. A ‘Color You’, equipa do Colégio Militar, desenvolveu uma aplicação para daltónicos, que permite rapidamente identificar cores e facilitar o quotidiano, foi aconselhada a melhorar o ‘ataque’ ao público-alvo.

Já a equipa da ‘eCoa’, uma aplicação que quer combinar o exercício físico com a recolha de lixo, vai trabalhar o próprio nome da app e a explicação da finalidade da aplicação. Os conselhos dos mentores são ouvidos com atenção e discutidos com os restantes participantes. Afinal, ainda há muito trabalho de casa até à grande final, que vai eleger as aplicações com maior potencial para mudar o mundo.

Trata-se da quinta edição do programa Apps for Good, que contou com a participação de 150 equipas, de vários pontos do país. As 22 equipas finalistas vão disputar dez prémios, como o Prémio Jovem Aluna.pt (patrocinado pelo .PT), o Prémio Tecnológico (patrocinado pela Fujitsu), o Prémio do Público e ainda o Prémio Cooler Planet (patrocinado pelo BNP Paribas), que vai distinguir as soluções que contribuam para a melhoria do ambiente.

A final deste programa, organizado em Portugal pelo CDI Portugal, contará com a presença de Isabel Alçada, Assessora para a Educação do Gabinete da Presidência da República, do Diretor-Geral da Educação, José Vítor Pedroso, do Administrador Executivo da Fundação Calouste Gulbenkian, Guilherme d’Oliveira Martins e ainda de Natalie Moore do Apps for Good UK.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Angel Gurria, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Mario Guzmán

OCDE mais pessimista. Sinais vermelhos para a economia

Outros conteúdos GMG
Apps for Good. Jovens finalistas aprendem a melhorar ‘pitch’ antes da final