Indústria

Aptiv: Investimento em I&D potencia recrutamento de 150 engenheiros

Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria, marcou presença na inauguração do centro de I&D da Aptiv. Fotografia: Global Imagens
Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria, marcou presença na inauguração do centro de I&D da Aptiv. Fotografia: Global Imagens

A Aptiv (ex-Delphi) de Braga decidiu unir a produção de sistemas de navegação ao desenvolvimento de produto. Para crescer, precisa de engenheiros

A Aptiv (ex-Delphi) acaba de inaugurar o centro de investigação e desenvolvimento de Braga, um investimento que permite aliar a produção de soluções de mobilidade automóvel ao desenvolvimento de produto. A empresa, a 6ª maior exportadora do país, pretende agora recrutar 150 engenheiros até 2019. Já no ano passado e só em Braga, foi responsável pela criação de 310 postos de trabalho, contabilizando atualmente 980 colaboradores.

A Aptiv, que em Portugal emprega 1600 pessoas (entre Castelo Branco, Lisboa e Braga), “está posicionada para fornecer o cérebro e o sistema nervoso dos automóveis” e a sua aposta é “responder aos desafios da conectividade nos veículos e da condução autónoma”, sublinhou Rui Enes, presidente da Aptiv, na cerimónia de inauguração do centro de I&D.

A empresa, que fornece marcas como a Audi, Porsche, BMW, Ferrari, entre outras, tem já a sua marca impressa em Braga, onde já operou sob a marca Grundig e mais recentemente Delphi. A nova designação é fruto de um spin-off do grupo, sendo que a Aptiv incorporou a produção e agora também o desenvolvimento de produto. Segundo Rui Neves, em 2017, foram quatro milhões de unidades entre sistemas de navegação, sistemas de áudio e multimédia móvel, ecrãs táteis, controladores de bordo, entre outros dispositivos.

A Aptiv, que no ano passado, ainda sob a designação de Delphi, faturou cerca de 510 milhões de euros, optou por reforçar o investimento em Braga devido à mão de obra disponível “altamente qualificada”, ao “ambiente de negócios favorável” e às infraestruturas existentes”, justificou Rui Enes.

Na inauguração do centro de I&D da Aptiv, cerimónia que integrou o programa da Semana da Economia, uma organização da InvestBraga, que está a decorrer na cidade minhota,

Presente na inauguração, a secretária de Estado da Indústria frisou que Braga é um case study na “atração de investimento, de empreendedorismo e inovação”, uma cidade “com um ecossistema verdadeiramente estimulante”, nomeadamente a nível universitário. Ana Teresa Lehmann frisou que “é um projeto em linha com a visão que temos para o país”.

Ana Teresa Lehmann adiantou ainda que no âmbito do programa para a indústria 4.0, em curso há quase ano e meio, “80% das medidas estão já concretizadas ou em fase de execução”, entre iniciativas de caráter público e privado. O programa já disponibilizou verbas de 700 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Foto: DR

IMI baixa para mais de 24 mil famílias que pediram reavaliação

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Aptiv: Investimento em I&D potencia recrutamento de 150 engenheiros