aviação

As casinhas da KLM que ajudam a vender a classe executiva

Photo: KLM/ Floris Heuer
Photo: KLM/ Floris Heuer

Companhia aérea distribui anualmente 800 mil casinhas com gin holandês à classe business

São um surpreendente sucesso na Holanda. As casinhas de porcelana, que nos anos 50 a KLM lançou como brinde para os seus passageiros de classe executiva, ajudaram a vender bilhetes numa altura em que andar de avião ainda era para poucos. Agora, com o centésimo aniversário chegou a centésima casinha que, na cerimónia de aniversário da companhia aérea, teve um merecido destaque.

“Foram a razão para muitos holandeses, especialmente homens como eu, gastarem um pouco mais no bilhete de avião”, lembrou Wopke Hoekstr, ministro das Finanças holandês, que encerrou a cerimónia de aniversário que teve lugar no hangar 10 do aeroporto de Schipol em Amesterdão.

No palco com Peter Elbers, CEO, Wopke Hoekstr foi convidado a carregar num botão gigante que, como em qualquer programa de televisão com prémio, veio acompanhado de confetis e música. O botão deu acesso a uma caixa enorme que estava no chão à espera de ser aberta. E, lá dentro, aparecia então a esperada casinha a rodar numa vitrine.

A esta réplica faltava apenas o licor que é servido a bordo dos aviões. Porque é essa a função dela – servir genever, gin holandês, na chaminé, enquanto se faz homenagem à arquitectura dos Países-Baixos.

Foto: Ben Kortman/KLM

Foto: Ben Kortman/KLM

Para a centésima casinha, a KLM escolheu o Palácio Huis ten Bosch, uma das quatro residências oficiais da Família Real Holandesa, em Haia. “Para mim, o Palácio Hus ten Bosch simboliza a ligação especial entre a KLM e a Holanda e o facto de termos ganho o apelido real nos últimos 100 anos. É, daqui para a frente, ponto de orgulho e honra que a nossa 100ª casinha seja a réplica deste edifício especial”, disse Pieter Elbers, CEO da KLM.

Apesar de terem nascido na década de 50, a KLM acelerou o ritmo de divulgações para poder acertar o número de casinhas com o número de anos da companhia. Para esta cerimónia, a transportadora levou clientes Business e colecionadores destas peças de porcelana.

As casinhas chegaram a custar à KLM um processo em tribunal, acusada de concorrência desleal e de violar uma regra que ditava que apenas podiam ser oferecidos presentes de valor máximo de 75 cêntimos. A companhia defendeu-se ao dizer que pode servir bebidas da forma que quiser. E, como as regras não especificam o tipo de copo que deve ser utilizado, ganhou o processo.

Hoje em dia distribuem-se mais de 800 mil casinhas anualmente.

* Em Amesterdão, a convite da KLM

huisjw100.3-402119
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
5G_2

5G: Anacom arranca já com consulta. Leilão será em abril

5G_2

5G: Anacom arranca já com consulta. Leilão será em abril

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conversa com o primeiro-ministro indigitado, António Costa, durante uma audiência para apresentação da lista de nomes propostos para secretários de Estado do XXII Governo Constitucional, no Palácio de Belém, em Lisboa, 21 de outubro de 2019. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Primeira reunião do novo governo marcada para sábado a seguir à tomada de posse

Outros conteúdos GMG
As casinhas da KLM que ajudam a vender a classe executiva