Indústria do calçado

Assembleia de credores da Eureka agendada para 17 de abril

Foto: D.R.
Foto: D.R.

A Alberto Sousa, Lda, dona da marca Eureka, já havia informado os 150 trabalhadores de que se iria apresentar à insolvência quando os dispensou

Está já agendada para 17 de abril a assembleia de credores da Alberto Sousa, Lda, a produtora de calçado de Vizela, detentora da marca Eureka. A sentença de declaração de insolvência foi decretada pelo Tribunal de Guimarães na passada sexta-feira, dia 21 de fevereiro.

O tribunal nomeou, ainda, António Carlos da Silva Santos para administrador da insolvência, estabelecendo o prazo habitual na lei, os 30 dias, para a reclamação de créditos.

Recorde-se que a Alberto Sousa, Lda havia informado os seus 150 trabalhadores que se ia apresentar à insolvência no passado dia 14 de fevereiro, invocando “motivos de ordem económica”. Na altura da dispensa dos trabalhadores liquidou integralmente os salários. Segundo o Dinheiro Vivo apurou, a grande maioria já terá sido absorvida por empresas da região, incluindo uma outra do grupo Eureka.

As dificuldades financeiras da Alberto Sousa foram conhecidas em 2018, quando se apresentou a um processo especial de revitalização (PER), com dívidas de 22 milhões de euros a 622 credores. PER este que foi dado por encerrado, em novembro de 2019, na sequência da homologação pelo tribunal do plano de recuperação aprovado pelos credores.

Há três semanas, a Alberto Sousa anunciou o encerramento da rede de lojas Eureka e, em declarações ao ECO, o advogado da empresa, José Nogueira, garantia que a fábrica de Vizela se iria manter aberta e que a empresa se passaria a “dedicar exclusivamente à componente industrial e a privilegiar a sua matriz inicial”.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Assembleia de credores da Eureka agendada para 17 de abril