combustíveis

Atestar o carro custa mais 9,5 euros desde dezembro

ng4133272

Os portugueses estão a pagar mais para abastecer o carro de combustível desde o final do ano passado. A subida do preço do petróleo nos mercados internacionais refletiu-se no valor a pagar pelos consumidores, que, para atestar um depósito com capacidade para 50 litros, já estão a pagar este ano mais 9,5 euros no caso da gasolina e mais 5,55 euros num automóvel a gasóleo.

Desde a última semana de dezembro de 2014, até 6 de abril deste ano, o preço da gasolina aumentou 14,75%, para 1,478 euros por litro, enquanto no gasóleo a subida foi de 10,05%, para 1,216 euros por litro, segundo os dados mais atualizados da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG).

Estes foram os aumentos sentidos pelos portugueses, uma vez que se refere ao preço final de venda ao público, que inclui também os impostos. No entanto, mesmo no valor bruto, ou seja, o preço sem taxas, verificou-se um aumento de 26,65% da gasolina e de 10,90% do gasóleo.

Esta evolução reflete o comportamento do brent – petróleo que serve de referência às importações portuguesas – que desde o ponto mais baixo deste ano, em janeiro, (46,67 dólares por barril) tem vindo a subir e está a cotar nos 57,9 dólares por barril.

Estas últimas subidas terão já reflexos nos preços dos combustíveis desta semana. O gasóleo, que atualmente está em 1,29 euros por litro deverá passar a barreira dos 1,30 euros. Já a gasolina deverá manter-se em torno dos 1,54 euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Atestar o carro custa mais 9,5 euros desde dezembro