autoeuropa

Autoeuropa. Administração admite negociar horários

Autoeuropa dá emprego a 5700 pessoas dentro da fábrica. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens
Autoeuropa dá emprego a 5700 pessoas dentro da fábrica. Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens

Operários da fábrica de Palmela entregam abaixo-assinado a exigir melhores condições para aceitarem trabalhar aos domingos.

A administração da Autoeuropa está disponível para negociar as compensações pagas aos trabalhadores pela laboração ao domingo. A abertura ao diálogo surge depois de os operários da fábrica de Palmela terem exigido, em abaixo-assinado, que a empresa do grupo VW volte a negociar com a comissão de trabalhadores as compensações pela imposição de novos horários de laboração contínua.

“Na Volkswagen Autoeuropa, mantemos e manteremos sempre o diálogo com a comissão de trabalhadores, tal como sempre fizemos”, garante fonte oficial da empresa ao DN/Dinheiro Vivo, depois dos plenários realizados ontem na fábrica de Palmela para discutir a imposição do novo modelo laboral depois das férias de agosto.

A comissão de trabalhadores, liderada por Fausto Dionísio, exige que a administração “crie as condições para voltar à mesa das negociações no sentido de se encontrar uma solução para os trabalhadores abrangidos pelos horários de laboração contínua”.

Os representantes dos 5700 operários da fábrica assinalam que a imposição de horários da empresa “está a provocar um clima de descontentamento” e que “a administração não pode ficar indiferente a esta demonstração de unidade dos trabalhadores e de exigência de uma nova solução que melhor satisfaça as suas reivindicações.

Os trabalhadores, segundo a proposta da administração, vão ter apenas mais uma folga por mês por trabalharem aos domingos. A folga extra semanal será atribuída a cada quatro semanas, segundo nota interna enviada no final de maio.

No novo modelo laboral, os operários vão ganhar ao domingo o mesmo que nos dias úteis e vão receber 100% de um dia normal de trabalho por mês por cada dois turnos trabalhados ao fim de semana; serão ainda pagos 25% trimestralmente “de acordo com o cumprimento do volume de produção”.

A Autoeuropa vai funcionar com 19 turnos de laboração depois das férias de agosto: três turnos diários de segunda a sexta e dois turnos diários ao sábado e domingo. Já está acordado com a administração liderada por Miguel Sanches que os trabalhadores terão uma semana de trabalho de cinco dias, com duas folgas consecutivas. Estes dias de descanso serão gozados ao sábado e domingo de duas em duas semanas.

Até às férias existirão dois tipos de turnos: o turno da noite funciona de segunda a sexta-feira, com as folgas fixas ao sábado e domingo; o turno da manhã e da tarde, de segunda-feira a sábado, mas com uma folga fixa ao domingo e uma folga rotativa. Em cada dois meses garantem-se quatro fins de semana completos e mais um período de dois dias consecutivos de folga. Este horário funciona desde 29 de janeiro e também foi imposto pela gestão.

A comissão de trabalhadores vai discutir hoje a situação da Autoeuropa com os sindicatos representados na empresa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mercados

FMI. Dívida de alto risco faz soar os alarmes

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. Fotografia: Direitos Reservados

Archer Mangueira garante solução para dívida a empresas até final do ano

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Outras touradas do Orçamento: as medidas mais arriscadas

Outros conteúdos GMG
Autoeuropa. Administração admite negociar horários