autoeuropa

Autoeuropa. Dia de plenários para falar sobre negociações de salários

Uma das unidades da Inapal, que também fornece a Volkswagen, está localizada no parque da Autoeuropa (Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)
Uma das unidades da Inapal, que também fornece a Volkswagen, está localizada no parque da Autoeuropa (Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)

Está previsto um plenário por turno. Comissão de trabalhadores e administração estão a negociar aumentos salariais há duas semanas.

Esta quinta-feira é dia de plenários na Autoeuropa. Os 5700 operários da fábrica de Palmela vão conhecer, em detalhe, a evolução das negociações iniciadas há duas semanas entre a administração e a comissão de trabalhadores para os aumentos salariais em 2018, adianta o coordenador, Fernando Gonçalves, em declarações ao Dinheiro Vivo.

“Os plenários desta quinta-feira vão servir para comunicar o estado das negociações do caderno reivindicativo para 2018”, segundo Fernando Gonçalves. O coordenador da comissão de trabalhadores diz que “já houve acordo em algumas das propostas do caderno reivindicativo”, mas adiantar em que medidas já houve acordo com a administração, liderada por Miguel Sanches.

Estão previstos três plenários, um por turno. O primeiro realizou-se às 6h15, o segundo começa às 8h e o terceiro terá início pelas 15 horas.

Na semana passada, apenas havia acordo em aspetos como o seguro de saúde de empresa e os protocolos para os funcionários, apurou, na altura, o Dinheiro Vivo.

O aumento de salários de 6,5% – com um valor mínimo de 50 euros, e efeito retroativo a setembro de 2017 – e o aumento das pausas de sete para dez minutos são os principais pontos de discórdia nas negociações do documento, que começou a ser discutido na passada sexta-feira.

Os 5700 operários da Autoeuropa garantiram, entretanto, que vão receber um prémio de 630 euros por cumprimentos de objetivos de produção do ano passado. Em 2017, a fábrica de Palmela arrancou a produção em série do SUV T-Roc, que levou a empresa a impor novos horários, em vigor desde segunda-feira, com 17 turnos de produção entre segunda-feira e sábado. Só desta forma poderão ser produzidos 240 mil automóveis neste ano, segundo a administração.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

Autoeuropa. Dia de plenários para falar sobre negociações de salários