autoeuropa

Autoeuropa. Saiba o que foi aprovado pelos trabalhadores

Autoeuropa. (Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)
Autoeuropa. (Fotografia: Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens)

Válido até ao final de 2018, o caderno reivindicativo aprovado na quinta-feira também contempla outro tipo de regalias, a nível social.

Foi por larga margem que os trabalhadores da Autoeuropa aprovaram os aumentos salariais na fábrica de Palmela. O “sim” recebeu 73,16% dos votos no referendo que decorreu durante praticamente toda a quinta-feira (entre as 2h00 e as 21h00). Ao viabilizarem este acordo, os funcionários da unidade da Volkswagen em Portugal vão receber um aumento salarial de 3,2% com efeitos retroativos a outubro de 2017 e que será refletido na folha de vencimento de março.

Válido até ao final de 2018, o caderno reivindicativo aprovado na quinta-feira também contempla outro tipo de regalias, a nível social, e que foram cruciais para que as negociações entre a comissão de trabalhadores e a administração chegassem a bom termo, após dois meses de reuniões.

A integração de 250 trabalhadores com contratos a prazo, até ao final de dezembro, e o fim da tabela A0 para operadores e do primeiro nível de integração para especialistas nas futuras admissões foram as principais moedas de troca para o acordo.

O acordo prevê também o pagamento de uma gratificação de 100 ou 200 euros em abril conforme a antiguidade. Inicialmente, a Comissão de Trabalhadores, liderada por Fernando Gonçalves, reivindicava uma atualização salarial de 6,5%, com um aumento mínimo de 50 euros.

O pagamento de seis bolsas de estudo para filhos de trabalhadores para frequentar o ensino superior e condições especiais para grávidas, com o pagamento de um subsídio no valor de 10% do salário, foram outros pontos do acordo.

“Com a atualização das tabelas salariais resultará, nomeadamente para os trabalhadores contratados a partir de fevereiro de 2017 com o nível A0, uma evolução de cerca de 140 euros mensais do salário base durante a vigência deste acordo”, adiantou na semana passada a comissão de trabalhadores no comunicado que resumiu o resultados das negociações com a administração.

Em 2018, prevê-se que sejam produzidos 240 mil carros em Palmela, o que obrigou já a empresa, que recebeu um investimento de 677 milhões de euros, a anunciar a contratação de mais 400 trabalhadores. O T-Roc levou já à contratação de mais de 2000 trabalhadores. Direta e indiretamente, a Autoeuropa dá emprego a 8700 pessoas.

Como o acordo é válido até ao final deste ano, comissão de trabalhadores e administração terão de voltar a reunir-se para discutir aumentos dos salários antes do início de 2019.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mercados

FMI. Dívida de alto risco faz soar os alarmes

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. Fotografia: Direitos Reservados

Archer Mangueira garante solução para dívida a empresas até final do ano

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Outras touradas do Orçamento: as medidas mais arriscadas

Outros conteúdos GMG
Autoeuropa. Saiba o que foi aprovado pelos trabalhadores