Autoeuropa suspende produção até 29 de março

Fábrica de Palmela do grupo Volkswagen manterá apenas serviços mínimos. Está em causa o maior exportador português em 2019.

A Autoeuropa suspendeu todos os turnos de produção até 29 de março. A decisão foi comunicada na manhã desta terça-feira pela administração da fábrica do grupo Volkswagen através de comunicado, em resposta aos impactos que o novo coronavírus (Covid-19) está a provocar na indústria automóvel.

"A Volkswagen Autoeuropa informa todos os colaboradores e parceiros que suspende todos os turnos de produção de veículos até ao dia 29 de março, com efeito imediato", refere a nota de imprensa divulgada esta terça-feira. Serão apenas mantidos os "serviços mínimos necessários".

Esta manhã, o grupo Volkswagen já tinha anunciado o fecho da maioria das fábricas na Europa por “duas a três semanas” devido à pandemia da Covid-19, segundo declarações do presidente executivo, Herbert Diess.

A fábrica portuguesa do grupo Volkswagen tem a produção suspensa desde o turno da noite de domingo. Na segunda-feira, os três turnos de laboração foram suspensos porque centenas dos milhares de trabalhadores desta unidade de produção tiveram de ficar em casa a prestar assistência aos filhos, devido ao encerramento das escolas decretado pelo Governo.

Apesar de ficarem em casa, os trabalhadores da Autoeuropa recebem o salário por inteiro. Serão utilizados alguns dos 22 down days previstos no acordo de empresa, explicou Fausto Dionísio, coordenador da comissão de trabalhadores ao Dinheiro Vivo.

Maiores fábricas paradas

Com o anúncio desta terça-feira da Autoeuropa, Portugal tem as duas maiores fábricas de automóveis paradas ao longo das próximas duas semanas.

Além da suspensão da produção na fábrica de Palmela - já em vigor - até 29 de março, a fábrica do grupo Peugeot-Citroën (PSA) em Mangualde vai deixar de laborar a partir desta quarta-feira por um período de 10 dias, segundo comunicado do grupo liderado por Carlos Tavares na segunda-feira.

A paragem das fábricas de automóveis por causa do novo coronavírus poderá ter um impacto de até 20% na produção para este ano.

“A indústria automóvel tem um peso relevante para a economia portuguesa, pelo que o impacto é muito intenso”, assinala o economista Augusto Mateus. “Os meses de março e abril serão de redução drástica na produção e representam até 20% da atividade económica em Portugal. A mesma percentagem aplica-se à produção automóvel. Estamos à porta de um choque sem precedentes”.

(Notícia atualizada pela última vez às 15h18 com declarações da comissão de trabalhadores)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de