aviação

Aviões sem restrições de passageiros a partir de junho

Desinfeção de um avião da Air France. (EPA/IAN LANGSDON)
Desinfeção de um avião da Air France. (EPA/IAN LANGSDON)

Governo alinha Portugal com as regras europeias relativas à aviação civil. Uso de máscara é obrigatório.

Os aviões vão poder voar sem limites à lotação de passageiros a partir de 1 de junho. O Governo vai revogar a portaria que definia que as aeronaves só poderiam ser utilizadas com um limite de lotação de dois terços dos ocupantes, segundo comunicado divulgado esta quinta-feira pelo Ministério das Infraestruturas e da Habitação. O Governo sustenta esta alteração com as regras definidas a nível comunitário.

“Importa agora alinhar as regras nacionais pelas regras europeias no que toca ao transporte em aviação civil, em que uma estratégia europeia e internacional uniformes são fundamentais para a retoma do sector e da confiança dos passageiros”, refere o gabinete do ministro Pedro Nuno Santos.

O mesmo comunicado lembra que, em termos internacionais, “têm vindo a ser estudadas e propostas recomendações sobre um conjunto de medidas sanitárias de combate à epidemia SARS-CoV-2 no setor dos transportes aéreos e a limitação de capacidade das aeronaves não faz parte dessas recomendações”. No entender do Governo, “não se justifica, por isso, que Portugal as mantenha, prejudicando as companhias sujeitas à sua jurisdição”.

Em 13 de maio, a Comissão Europeia não definiu quaisquer limites de ocupação dos lugares dentro dos aviões, correspondendo às expetativas das companhias do setor.

A lotação de passageiros por aeronave foi limitada a dois terços no dia 2 de maio através de uma portaria publicada em Diário da República. Com esse documento, o sector da aviação cumpria os mesmos limites à lotação aplicados aos restantes meios de transporte públicos.

Dentro dos aviões, no entanto, os passageiros continuarão a ser obrigados a usar uma máscara comunitária.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

Aviões sem restrições de passageiros a partir de junho