Banca. Clientes com razão em mais de 5000 queixas apresentadas

BdP revela que bancos persistem em cometer milhares de irregularidades todos os anos, apesar de repetidamente serem repetidamente advertidos

O Banco de Portugal deu razão aos clientes bancários em mais de 5000 queixas que recebeu contra instituições de crédito ao longo do ano passado, segundo o relatório de supervisão comportamental esta quarta-feira divulgado pelo banco central.

"O Banco de Portugal recebeu e tratou 14 141 reclamações de clientes bancários contra instituições de crédito, mais 4,8% do que no ano anterior, mas abaixo do valor registado em 2014", refere o dito relatório, que de seguida detalha que em 36% das queixas foram encontrados indícios de infração. Nestes casos, "a situação reclamada foi solucionada pela instituição, por sua iniciativa ou por indicação do Banco de Portugal".

Ainda no capítulo onde presta contas da sua atividade de supervisão ao setor financeiro, o Banco de Portugal revela que os bancos persistem em cometer milhares de irregularidades todos os anos, apesar de repetidamente serem advertidos pelo banco central.

Ao longo do ano passado, o BdP deu especial atenção ao crédito ao consumo, segmento do crédito que as instituições mais têm feito por aumentar nos últimos anos. Foram 132 ações de inspeção aos balcões, 66 a serviços centrais e ainda 612 inspeções à distância. Além destas análises, o BdP "avaliou ainda a transparência e a completude da informação prestada no preçário das instituições, fiscalizando 726 folhetos de comissões e despesas e 496 folhetos de taxas de juro", além de "8572 suportes publicitários".

Destas várias ações de inspeção, diz o BdP, foram detetadas inúmeras irregularidades, tantas que foi preciso emitir 1020 recomendações e determinações específicas a não menos do que 73 instituições financeiras. "Para corrigir as irregularidades detetadas nas ações de fiscalização, o Banco de Portugal emitiu 1020 recomendações e determinações específicas dirigidas a 73 instituições, na sua maioria respeitantes ao crédito aos consumidores", diz o relatório.

Entre as irregularidades cometidas pelos bancos, o supervisor destaca o aumento de infrações ao nível dos suportes publicitários através dos quais são vendidos créditos e afins. Em 2016 registaram-se mais 13% suportes publicitários e entre os quais registou-se igualmente "uma maior taxa de incumprimento (2,6%) do que em 2015".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de