Banif. "Foi como comentador que tive participação" na notícia da TVI

O jornalista e comentador da TVI António Costa está a ser ouvido na comissão parlamentar de Inquérito ao Banif a propósito da notícia da TVI que dava conta do fecho do banco.

O jornalista e comentador da TVI António Costa esclareceu hoje que a sua intervenção na TVI no dia em que a estação de televisão noticiou em rodapé o fecho do Banif, foi apenas como comentador.

Questionado na comissão de inquérito do Banif sobre qual o seu papel na redação na noite da notícia António Costa explicou que estava na TVI para um evento particular e que os editores e o próprio diretor de informação da TVI, Sérgio Figueiredo, lhe pediram para comentar essa informação.

"Foi como comentador da notícia. Sou comentador regular da TVI e foi na qualidade de comentador da TVI que tive essa participação", explicou aos deputados, questionado pelo deputado do CDS João Almeida.

João Almeida, frisando que essa informação não tinha ficado clara da audição de Sérgio Figueiredo, que falou aos deputados na passada semana e onde tinha ficado a ideia de que tinha participado numa 'task force' e "papel ativo nalguns passos fundamentais".

“De facto não fui o coordenador da notícia mas entendo que a situação faça alguma confusão a quem não está numa redação”, referindo-se ao telefonema a Jorge Tomé, ex-presidente do Banif. “E depois partilhei com os meus colegas o comentário que ia fazer”, não tendo partilhado informação noticiosa, especificou. "Não telefonei a Jorge Tomé a pedir confirmação, seria até ofensivo para a área editorial da TVI fazer essa pergunta. Não era esse o meu papel."

António Costa frisou que a informação que teve para preparar o seu comentário foi "a nota de rodapé e o que me foi passado verbalmente, que era a nota de rodapé. Não tive acesso a nenhum documento nem nenhuma fonte. E do ponto de vista dos meus contactos para lá do conhecimento pessoal do tema o único que fiz, como disse, foi com o Dr. Jorge Tomé."

O ex-presidente do Banif também disse na sua audição que tinha recebido um telefonema de António Costa nessa noite.

O deputado do PSD Carlos Silva inquiriu se "não é verdade o que disse o diretor de informação da TVI de que terá pedido ajuda a António Costa no sentido de ajudar os jornalistas e que estariam na TVI?" António Costa frisou que o pedido foi "para comentar e foi o que fiz na 25ª Hora".

Aquilo que "era falso" foi a questão dos 100 mil euros dos depósitos "e ainda bem que isso foi corrigido". Foi também neste ponto que Sérgio Figueiredo, diretor de informação da TVI, admitiu o erro da TVI, dizendo que houve um erro de interpretação. António Costa considerou que a notícia da passagem para a Caixa não era falsa, poderia era estar desatualizada.

António Costa está a ser ouvido na Comissão Parlamentar de Inquérito ao Banif pela sua ligação à TVI e à notícia em rodapé que dava conta de que estava tudo preparado para "o fecho" do Banif e que os depósitos acima de 100 mil euros não seriam assegurados.

A notícia, divulgada no domingo, 13 de dezembro, às 22h18, foi corrigida durante a noite em rodapé e chegou a ter sete versões. Foi desenvolvida no programa 25ª Hora à meia-noite, com mais detalhes e algumas retificações.

A informação levou a uma fuga de depósitos na semana seguinte, de quase mil milhões de euros, precipitando a resolução do banco.

O diretor de informação da TVI, Sérgio Figueiredo, foi ouvido pelos deputados na passada semana e assumiu parte do erro mas não a responsabilidade total pela fuga de depósitos.

 

(notícia atualizada às 11h21 com mais informação)

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de