América Latina

Barceló faz acordo para adquirir 100% dos hotéis Occidental

Occidental tem hotel em Cartagena das Índias
Occidental tem hotel em Cartagena das Índias

O grupo turístico Barceló quer adquirir todo o capital da cadeia hoteleira Occidental para continuar a sua expansão na América Latina. A corporação sedeada em Palma de Maiorca assinou um acordo com o BBVA para adquirir 57,5% de participação na marca de hotéis. Dado que já tinha adquirido 42,5% do capital da marca em maio passado, mal o acordo seja efetivo, passará a ser o único proprietário da empresa.

A operação está condicionada à aprovação das autoridades do México, informou o grupo Barceló em comunicado, acrescentando que com a incorporação da Occidental a sua carteira dará “um passo muito importante” na sua estratégia de crescimento na América Latina. Com a aquisição, o Barceló terá no grupo onze novos hotéis no México e na República Dominicana e conseguirá entrar em países novos como Aruba, Colômbia e Haiti, num total de 4.011 quartos. Todos os hotéis Occidental são próprios, exceto os de Cartagena das Índias e o de Port au Prince, que são operados em regime de exploração.

Uma parte da participação que Barceló adquiriu no passado dia 4 de maio pertencia a um dos acionistas minoritários da companhia, Amancio Ortega – o fundador da Inditex, que controlava cerca de 28% dos títulos. Fundada em 1982, a cadeia Occidental era controlada pelo BBVA e pelo braço investidor de Amancio Ortega, Pontegadea, desde 2007.

Quanto à cadeia Barceló Hotels & Resorts, esta conta com 94 hotéis urbanos e de férias de 4 e 5 estrelas, somando mais de 30 mil quartos. Entre eles, figuram 16 hotéis no México, três na Costa Rica, um em Cuba, um na Guatemala, um no Equador e um na Nicarágua. Além disso, controla 40% das ações da Crestline Hotels&Resorts, uma companhia de gestão de ativos norte-americana com 74 estabelecimentos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Barceló faz acordo para adquirir 100% dos hotéis Occidental