Batata portuguesa para o mercado internacional já tem nome: Miss Tata

França, Alemanha, Espanha, Holanda, Emirados Árabes Unidos, Eslovénia e Angola são os mercados estratégicos no âmbito do projeto de promoção da batata portuguesa a nível internacional.

Miss Tata é a marca coletiva para a promoção da batata portuguesa no mercado externo e nacional, lançada esta terça-feira pela Porbatata, associação de promoção da fileira, no âmbito do projeto de promoção deste alimento no mercado internacional. O projeto apoiado pelo Portugal 2020, no âmbito Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, prevê um investimento global de 352.988 euros, financiado em 85% pelo FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

"Esta é a primeira vez que a fileira da batata portuguesa se junta para criar uma imagem coletiva para este produto, apostando na diferenciação e na qualidade", destaca a Porbatata.

"A Miss Tata é versátil, dinâmica, colorida e bem-disposta. É a embaixadora das batatas portuguesas no mundo e pretende espelhar atributos que conduzem a uma alimentação nutritiva e equilibrada. A Miss Tata tem orgulho de ser portuguesa", descreve a associação. A marca foi criada pela agência Evaristo.

Além da criação da marca própria coletiva, estão previstas iniciativas como a presença em eventos internacionais e a realização de ações de promoção, havendo ainda a intenção da Porbatata organizar um Concurso Internacional da Batata Portuguesa em França.

França, Alemanha, Espanha, Holanda, Emirados Árabes Unidos, Eslovénia e Angola são os mercados considerados estratégicos no âmbito do projeto de promoção da batata portuguesa a nível internacional nos próximo dois anos.

Em 2019, as exportações de batata somaram 28,5 milhões de euros. Os principais destinos foram Espanha, Alemanha, Holanda, Cabo Verde, França, Bélgica e Luxemburgo. Em Portugal, o consumo per capita de batata é de 93,6 quilos por ano.

Produzida em todo o país, com destaque para as zonas Entre Douro e Minho, Trás-os-Montes, Beira Interior, Beira Litoral, Oeste, Ribatejo, Península de Setúbal e Costa Alentejana, a área de cultivo ocupada com a produção deste alimento é de 22 mil hectares, com a produção média a atingir perto de 500 mil toneladas anuais.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de