Bolsa

Bayer cai mais de 10% após novos problemas com a Monsanto

Monsanto foi comprada pela Bayer em setembro de 2016. (REUTERS/Brendan McDermid)
Monsanto foi comprada pela Bayer em setembro de 2016. (REUTERS/Brendan McDermid)

Herbicida produzido pela Monsanto foi considerado por um tribunal norte-americano como "fator substancial" para cancro de septuagenário.

Os títulos da gigante química Bayer caíram esta quarta-feira mais de 10% no mercado de ações de Frankfurt, após um novo revés na sua subsidiária Monsanto, nos Estados Unidos.

Pelas 08:05 em Lisboa, a Bayer caía 10,75%, para os 62,20 euros, na bolsa de Frankfurt.

O herbicida Roundup foi considerado na terça-feira um “fator substancial” no cancro desenvolvido pelo septuagenário Edwin Hardeman, de acordo com um júri norte-americano.

Os jurados disseram que o queixoso demonstrou que o Roundup foi um “fator substancial” para o seu cancro, encerrando assim a primeira fase deste processo, aberto em 25 de fevereiro.

Por pedido do grupo alemão Bayer (que comprou a Monsanto no ano passado), os debates foram organizados em duas fases: uma, “científica”, consagrada à responsabilidade do Roundup na doença, e uma segunda, para abordar uma eventual responsabilidade do grupo.

Quando o veredicto foi divulgado, o queixoso e os seus advogados abraçaram-se. “Estamos muito satisfeitos”, reagiu uma advogada de Hardeman, Jennifer Moore.

De sinal contrário foi a reação da Bayer que, em comunicado, declarou: “Estamos dececionados”.

A segunda fase do processo, que é o primeiro ao nível federal, vai começar na quarta-feira e deve, desta vez, procurar resposta para as questões: a Monsanto conhecia os riscos? Escondeu-os? Se sim, quais são as indemnizações que deve pagar?

Em agosto, um veredicto histórico condenou o grupo agroquímico a pagar 289 milhões de dólares (255 milhões de euros) a um jardineiro doente com cancro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
President of the European Commission Ursula von der Leyen (L) and President of the European Council Charles Michel give a press conference during the second day of a special European Council summit in Brussels on February 21, 2020, held to discuss the next long-term budget of the European Union (EU). (Photo by kenzo tribouillard / AFP)

Conselho Europeu termina em Bruxelas sem acordo

Jerónimo Martins é dona do Pingo Doce

Lojas Pingo Doce “que estavam perto da Mercadona cresceram”

Hebe

Jerónimo Martins expande marca Hebe para Eslováquia e República Checa

Bayer cai mais de 10% após novos problemas com a Monsanto