BCP confirma abertura da Sonangol para avaliar "oportunidades de criação de valor"

O Millennium bcp confirmou esta quarta-feira que o seu segundo maior acionista, a angolana Sonangol, está atenta a eventuais movimentos de consolidação bancária na zona euro e em Portugal" e irá analisar "eventuais oportunidades de criação de valor" para o banco e os acionistas.

O esclarecimento do banco liderado por Miguel Maya surge depois de o CEO da Sonangol ter afirmado que a petrolífera angolana está aberta a sair do capital do BCP e que admite avaliar uma eventual fusão do BCP com outro banco.

"Na sequência das notícias hoje divulgadas na imprensa relativas à participação da Sonangol - Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, EP no capital social do Banco Comercial Português, as quais referem o eventual desinvestimento no banco, esclarecemos que o BCP confirmou hoje junto da administração da Sonangol que esta embora mantenha a sua estratégia em relação ao Banco está atenta a eventuais movimentos de consolidação bancária na zona euro e em Portugal", refere o banco num comunicado divulgado no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Adianta que confirmou ainda junto da Sonangol que a angolana "como investidor, analisará, sempre em estreita articulação com o Banco e os demais acionistas estratégicos, eventuais oportunidades de criação de valor que possam fazer sentido para a Sonangol, para o banco e para os seus acionistas".

Com uma participação de quase 20% no maior banco privado português, a Sonangol é o segundo maior acionista do BCP, depois da chinesa Fosun.

"No caso do Millennium bcp estamos a monitorar o seu desempenho. Se se apresentar uma boa oportunidade para desinvestimento, iremos avaliá-la e fazer as recomendações que se afigurarem as mais acertadas para o contexto e necessidades da Sonangol", afirmou o CEO numa entrevista à Reuters, publicada esta quarta-feira.

"A Sonangol está a acompanhar os movimentos eventuais de consolidação bancária em Portugal e, caso surja alguma oportunidade, o assunto será avaliado com os outros parceiros investidores no Millennium bcp", acrescentou.

A Standard & Poor's referiu, numa análise recente, que espera que a crise provocada pelas medidas adotadas pelos governos no âmbito da epidemia, levem a um movimento de fusões na banca europeia.

O Millennium bcp foi mencionado recentemente, numa análise do Goldman Sachs, como podendo vir a ser integrado pelo CaixaBank ou o Santander no futuro.

Esta especulação surge quando o setor atravessa uma das maiores crises de sempre, tal como a economia, na sequência das medidas implementadas pela maioria dos governos europeus para controlar a pandemia de covid-19, que afetam gravemente a atividade económica.

Para a S&P, a deterioração da qualidade dos ativos dos bancos só começará a ser visível em 2021, quando terminarem algumas medidas, incluindo as moratórias, que impedem que os bancos registem um aumento do nível de crédito malparado.

(Atualizada às 18H27 com mais informação)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de