Beja a complementar Lisboa "não seria um aeroporto competitivo"

Pedro Nuno Santos alega que a opção de Beja em detrimento do Montijo ou de Alcochete serve para quem "não quer verdadeiramente um aeroporto".

Beja não é uma alternativa competitiva a Montijo ou Alcochete para complementar o aeroporto de Lisboa. O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, explicou esta quarta-feira porque recusa colocar esta infraestrutura na avaliação ambiental estratégica para o futuro das ligações aéreas da região da capital.

"O aeroporto em Beja é importante para a região do Baixo Alentejo mas não pode ser para Lisboa. São 129 km em linha reta até Lisboa e mais de 170 km de estrada. Na Europa, nenhum dos principais aeroportos está a mais de 50 quilómetros - os que há estão em declínio. Só defende Beja quem não quer verdadeiramente um aeroporto", respondeu o governante à deputada Inês de Sousa Real, do PAN.

Alegando motivos ambientais, o PAN tem defendido o atual aeroporto como um complemento à operação do aeroporto Humberto Delgado, em vez da opção por Montijo ou Alcochete. Para o ministro, "o impacto ambiental de Beja atualmente é muito diferente do que existiria com esta alternativa. Beja não seria um aeroporto competitivo".

Os defensores de Beja não ficam por aqui: exemplo disso é o presidente da associação dos empresários desta região do Baixo Alentejo. Filipe Pombeiro assinalou, no início de março, que, "com uma boa ferrovia e uma boa rodovia, numa hora estamos em Lisboa".

Também a consultora FIRMA defendeu a opção do aeroporto de Beja, através da construção de uma linha de alta velocidade com hub em Beja e ligação direta às principais regiões, como Lisboa (a 40 minutos), Porto (a 80 minutos), Faro e Badajoz (a 20 minutos) e Madrid (a 125 minutos).

Ainda na ferrovia, a Infraestruturas de Portugal vai estudar a ligação do aeroporto de Beja à linha ferroviária do Alentejo.

A variante para o aeroporto de Beja poderá custar 20 ou 26 milhões de euros e permitir uma viagem de comboio até Lisboa em cerca de 1 hora e 30 minutos.

A escolha mais barata tem uma extensão de 12,8 quilómetros; serve para as instalações militares e o transporte de mercadorias por via aérea. A opção mais cara está mais vocacionada para passageiros e prolonga-se por perto de 17 quilómetros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de