Indústria

Bica à portuguesa. Nestlé já exporta Nescafé em grão para 33 mercados

Cafe

A marca de café solúvel passou a ter uma gama de café em grão. Este ano da Fábrica do Porto deverão sair 1200 toneladas para mais de 30 mercados

A Nestlé já está a exportar Nescafé em grão para 33 mercados. Só o ano passado, o primeiro em produção, a fábrica de torra de café no Porto produziu 260 toneladas de Nescafé em grão.

“Este ano já produzimos, nos primeiros 4 meses do ano, 380 toneladas o que, a manter este ritmo, nos dá a expectativa de atingir as 1200 toneladas no final do ano”, adianta Victor Manuel Martins, diretor de Cafés Torrados da Nestlé Portugal, ao Dinheiro Vivo.

O ano passado a multinacional decidiu avançar com uma gama de café em grão para a marca conhecida pelo café solúvel. A fábrica de torra de café no Porto, onde já são produzidos as marcas Buondi, Sical, Tofa e Christina, foi a escolhida para produzir este novo produto dedicado ao canal Hore (hotéis, restaurantes).

“O balanço está a ser muito positivo. Aumentámos a produção da nossa fábrica do Porto e também a exportação (25% do total de produção da fábrica) uma vez que este novo produto já está a ser exportado para 33 países em três continentes, da Áustria à África do Sul, passando pela China ou Malásia”, afirma Victor Manuel Martins. A Europa do Leste é “a região com maior peso na procura”, precisa o responsável.

No mercado interno a Nestlé está a colocar o Nescafé em grão no canal Hore, estando já presente em 99 estabelecimentos, como a cervejaria “Ramiro”, o restaurante “Este Oeste” no CCB, a taberna asiática “Soão” (do grupo SeaMe) e o “Hard Rock Café Lisboa”, entre outros.

O ano passado a fábrica produziu cerca de 12 mil toneladas de café, com 25% para o mercado de exportação. O café, área de negócio que representa 45% dos resultados da Nestlé em Portugal, foi uma das áreas que empurraram o crescimento o ano passado, mas também no primeiro trimestre. A Nestlé Portugal fechou o primeiro trimestre com vendas de 117 milhões de euros, uma subida de 6% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. E até março, o café registou um crescimento orgânico de 9% em todos os canais de distribuição, incluindo o Horeca (hotéis, restaurantes e cafés).

Leia ainda: Nestlé. Portugal “em teoria” pode ganhar com acordo com Starbucks

Situação a que o bom momento turístico do país não é alheio. “A retoma da Economia portuguesa, em muito impulsionada pelo boom do turismo, veio reavivar o mercado Horeca no seu todo e também na área dos cafés torrados, contrariando a tendência dos anos de crise em que o consumo no Lar crescia mais que no Fora do Lar”, diz o diretor de Cafés Torrados da Nestlé Portugal.

“Há novas tendências de consumo de café (bebidas de café) que acrescentam dinamismo ao segmento. Estamos inclusivamente neste momento a desenvolver em parceria com as Escolas de Hotelaria do Turismo de Portugal o 1º Concurso Master Barista a nível nacional: o objetivo é “profissionalizar” a especialização de barista (especialista em bebidas com café) que em Portugal ainda não tem o mesmo reconhecimento que a de sommelier ou chocolatier”, adianta. “Temos uma equipa permanentemente no terreno a dar formação aos nossos clientes sobre como potenciar a experiencia de consumo do café.”

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Outros conteúdos GMG
Bica à portuguesa. Nestlé já exporta Nescafé em grão para 33 mercados