retalho

Bimby paga pela usada à troca por uma nova. É assim em Espanha e em Portugal?

BIMBY_V1

Para competir com os robôs mais baratos, a marca cujas máquinas superam os mil euros apostou nas vendas em segunda mão.

A dona do robô de cozinha mais famoso está a mudar a sua estratégia em Espanha. A Thermomix, mais conhecida por Bimby, vai apostar no mercado de segunda mão. Além disso, a empresa vai abrir a sua primeira loja física no país em Bilbau, no mês de maio, escreve o El Economista

Em Portugal, o robô de cozinha da marca alemã já pode ser comprado no El Corte Inglés. O anúncio foi feito no início do ano. Foi a primeira vez que a Bimby foi comercializada fora da rede própria.

Para competir com os robôs mais baratos, a marca cujas máquinas superam os mil euros e que por enquanto descarta as vendas online, apostou nas vendas em segunda mão. Desde novembro de 2018, a Thermomix oferece um sistema para financiar a aquisição de máquinas novas que inclui a sua recompra a cada dois anos (altura em que a garantia expira) a um preço fixo – 300 euros a TM5 e 360 euros a TM6.

Depois de recomprados, os robôs são reparados e novamente vendidos com um período adicional de garantia por 700 euros.

Contactada pelo Dinheiro Vivo, a Vorwerk em Portugal afirma que “cada um dos países onde a Vorwerk está presente tem a sua própria estratégia de venda e respetivos parceiros financeiros”, pelo que neste momento não está prevista a implementação de um programa deste tipo em Portugal.

Depois do lançamento da Thermomix TM6, uma versão da Bimby mais digital, só em Espanha foram vendidas 154.746 unidades em 2018. O diretor da marca no país vizinho, Ignacio Fernández-Simal, adiantou ao jornal espanhol que prevê comercializar 167 mil robôs ao longo do exercício deste ano.

Bilbau foi a cidade escolhida para a nova loja pelo potencial poder aquisitivo. Ignacio Fernández-Simal defende que o objetivo não é abrir uma “infinidade de estabelecimentos, sem ter lojas emblemáticas nas cidades mais importantes de Espanha”, como Madrid, Barcelona, Valência ou Málaga.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Bimby paga pela usada à troca por uma nova. É assim em Espanha e em Portugal?