Bombas vão ter de dizer que aditivos juntam aos combustíveis

Os combustíveis podem não ser mais baratos

Os combustíveis simples - ou não aditivados - que vão estar à venda em todos os postos na sexta-feira, podem não ser tão baratos como se esperava, mas a lei que obriga a ter esses produtos inclui outras obrigações que podem, de facto, ser vantajosas para os consumidores.

De acordo com uma portaria publicada terça-feira em Diário da República, a partir de 4 de maio, todas as bombas do país vão ter de informar qual a composição dos combustíveis que estão a vender. Ou seja, vai ser possível saber que componentes têm os combustíveis simples não aditivados e também que aditivos têm a mais os produtos normais e os premium.

De acordo com a portaria, essa informação terá de ser colocada em todas as ilhas para que seja imediatamente visível por quem está a abastecer. “A informação sobre a aditivação suplementar dos combustíveis é afixada em cada ilha destinada à dispensa de combustível, de modo a ser visível por quem abasteça”, pode ler-se na portaria.

Esta medida, com a qual até as marcas concordam, permite identificar melhor os vários tipos de combustível e fazer uma escolha mais informada, principalmente agora que vão passar a haver quatro tipo de produtos à venda no mercado, ainda que não em todas as bombas.

Na Galp, por exemplo, haverá combustível normal, simples e premium, mas na BP, Cepsa e Repsol a estratégia é vender apenas os simples e os premium, retirando o normal que se vendia hoje e desde sempre.

Estes são os tipos de combustível que haverá a partir de sexta nas bombas:

Simples

É o que sai da refinaria, sem aditivos, e que todos compram à Galp e usam com ou sem aditivos. Tem um preço/litro de referência que ontem era de 1,10 euros no gasóleo e 1,34 euros na gasolina. Estará à venda em todas os postos na sexta, mas mais caro que a referência e que nos hiper. Será, aliás, quase igual ao normal aditivado.

Low cost

É o combustível simples que se vende nos super e hipermercados, com oito a 12 cêntimos de desconto face ao combustível normal adtivado e ainda uns 2 a 3 cêntimos mais barato que a referência.

Normal aditivado

É o que se vende desde sempre em todas as bombas. É o simples depois de aditivado e reforçado com anti-espuma, antioxidantes e manganésio para puxar mais pelo motor. Os preços são definidos pelas marcas e pela média da DGE de 14 de abril, o gasóleo custava 1,22 euros/litro e a gasolina 95 estava nos 1,48 euros/litro.

Premium

São os simples com ainda mais aditivos que os normais e que as marcas dizem servir para melhor proteger o motor e o ambiente . São até 10 cêntimos mais caros que os normais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Utentes à saída de um cacilheiro da Transtejo/Soflusa proveniente de Lisboa, em Cacilhas, Almada. MÁRIO CRUZ/LUSA

Salário médio nas empresas em lay-off simplificado caiu 2%

TikTok

Microsoft estará interessada na compra da operação global do TikTok

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho (D), ladeada pelo secretário de Esatdo dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro (E), intervém durante a interpelação do Partido Comunista Português (PCP) ao Governo sobre a "Proteção, direitos e salários dos trabalhadores, no atual contexto económico e social", na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de junho de 2020. MÁRIO CRUZ/LUSA

Já abriu concurso para formação profissional de 600 mil com ou sem emprego

Bombas vão ter de dizer que aditivos juntam aos combustíveis