mobilidade

Bosch contrata mais 500 pessoas em Portugal nos próximos três anos

dinheiro vivo_made in portugal_episodio 4_bosch portugal_thumbnail 2

Multinacional alemã assina protocolos com as universidades do Porto e do Minho para cidades inteligentes e mobilidade.

Atualmente com cerca de 5800 pessoas em Portugal, a Bosch prepara-se para contratar pelo menos mais 500 trabalhadores nos próximos três anos para as unidades de Braga – dedicada à área da mobilidade – e de Ovar – dedicada aos sistemas de segurança. No total, serão investidos 52 milhões de euros, graças às parcerias com as universidades do Porto e do Minho.

A parceria com a universidade do Minho vale 35 milhões de euros e destina-se à unidade de Braga, que cria soluções para a área da mobilidade. Esta fábrica terá o projeto “Sensible Car”, que servirá para desenvolver tecnologias para que o carro possa detetar o ambiente em redor do veículo e tomar decisões com base na inteligência artificial e sensores. Para esta unidade serão contratadas 300 pessoas, adiantou Carlos Ribas, admistrador da Bosch Portugal, em entrevista publicada esta quinta-feira pelo Jornal de Negócios.

Com a universidade do Porto, o acordo vale 17 milhões de euros e está em causa o projeto “Safe Cities”, que permitirá desenvolver um ecossistema de IoT (Intenet das Coisas) para aumentar a segurança das cidades. Para esta unidade serão contratadas 200 pessoas.

A unidade de Braga poderá ainda receber mais dois projetos de investigação e desenvolvimento caso estes serão viabilizados pelo programa Portugal 2020. Se isso ocorrer, o investimento total poderá atingir cerca de 110 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Pedro Nunes/File Photo

Programa de arrendamento acessível arranca a 1 de julho. Tudo o que deve saber

Fotografia: Pedro Rocha/Global Imagens

Governo questiona RTP sobre não transmissão de Jogos de Minsk

DHL Express Store2

DHL Express vai investir até 600 mil euros em rede de lojas pelo país

Outros conteúdos GMG
Bosch contrata mais 500 pessoas em Portugal nos próximos três anos