auto-estrada

Brisa. Credores exigem 700 milhões pela dívida das concessionárias

Brisa pode emitir obrigações

A proposta apresentada pelo grupo de credores, ainda sem resposta, prevê um perdão da dívida de 60% no caso da Douto Litoral e 45% no da Brisal.

Os credores da Brisal e da Douro Litoral, concessionárias controladas pela Brisa, que estão em incumprimento desde 2012 e 2014, respetivamente, pretendem reclamar legalmente a posse das duas, caso não cheguem a acordo para recuperar parte da dívida de mais de 1,5 mil milhões de euros, avança o Jornal de Negócios, esta sexta-feira.

Quem detém a maioria da dívida, atualmente, são fundos de investimento e bancos internacionais. Além do Banco Europeu de Investimentos, envolvido apenas na Brisal, os credores das concessões são os fundos Strategic Value Partners (SVP Global) e Cross Ocean, o Deutsche Bank e o JP Morgan.

A proposta apresentada pelo grupo de credores, ainda sem qualquer resposta, prevê um perdão da dívida de 60% no caso da Douto Litoral e 45% no da Brisal, traduzindo-se em cerca de 800 milhões de euros. Com este perdão, os credores receberiam aproximadamente 700 milhões.

Caso não cheguem a acordo, os fundos e bancos credores poderão reclamar legalmente a posse das duas concessões.

Fonte oficial da Brisa, citada pelo mesmo jornal, afirmou que “continua ativa na busca de uma solução equilibrada de longo prazo e está, por isso, aberta a diálogo”. A Brisa afirmou ainda que tem estado a trabalhar na reestruturação das duas concessionárias de modo a melhorar a sustentabilidade financeira da sua atividade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Artur Machado/Global Imagens.

Donos de alojamento local contestam agravamento das tarifas da água

Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Science4you quer alargar prazo da oferta pública até fevereiro

(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Brisa. Credores exigem 700 milhões pela dívida das concessionárias