Autoestradas

Brisa na mira da maior construtora do mundo

(Fotografia cedida pela Brisa)
(Fotografia cedida pela Brisa)

A notícia está a ser avançada esta sexta-feira pela agência de notícias Bloomberg, que cita fontes próximas do processo.

Um consórcio chinês liderado pela China State Construction Engineering Corp., maior construtora do mundo, está na corrida à compra da Brisa.

A notícia está a ser avançada esta sexta-feira pela agência de notícias financeiras Bloomberg, que cita fontes próximas do processo. A concretizar-se a venda, será uma das maiores do setor de infraestruturas na Europa este ano, adianta a agência.

O consórcio inclui ainda o fundo de investimento chinês CNIC Corp. e o China-Portuguese Cooperation and Development Fund. Mas mais investidores podem vir a entrar no consórcio para a compra do maior operador de autoestradas em Portugal.

Entre os outros candidatos à compra da Brisa estão a espanhola Global Via Infraestructuras, a japonesa Marubeni Corp. e a espanhola Abertis, que formou um consórcio com um fundo de Singapura GIC.

A Bloomberg noticiou, no mês passado, que os fundos Ardian SAS e o Macquarie Group submeteram propostas para a compra da empresa.

Os donos da Brisa – o Grupo José de Mello e o Arcus European Infrastructure Fund – pretende vender 80% da empresa, uma posição que poderá valer cerca de 3.000 milhões de euros, segundo as mesmas fontes.

Os candidatos ainda estão a analisar a operação e podem vir a decidir não submeter propostas vinculativas para a compra da empresa.

A Brisa opera em Portugal vias com um total de 1.628 quilómetros, incluindo uma rede de 17 autoestradas. A sua maior subsidiária, a Brisa-Concessão Rodoviária, que opera 12 autoestradas no país, registou um aumento de 36% no seu lucro líquido no primeiro semestre de 2019, para 83,2 milhões de euros. Esta empresa apresentou, no mesmo período, uma dívida líquida de 1,84 mil milhões de euros.

A Brisa foi uma das empresas que fez parte da febre de privatizações em Portugal, tendo entrado em bolsa em 1997. Mas a empresa acabou por deixar de estar cotada em 2013.

Atualizada às 13H49 com mais informação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Brisa na mira da maior construtora do mundo