aviação

British Airways deixa de voar para o Irão a partir de setembro

EPA/ANDY RAIN
EPA/ANDY RAIN

A companhia British Airways referiu que "as operações não são atualmente comercialmente viáveis". O último voo acontece a 22 de setembro.

A companhia British Airways anunciou esta quinta-feira deixará de realizar voos diretos para a capital do Irão em setembro, porque “as operações não são atualmente comercialmente viáveis”.

A decisão anunciada esta quinta-feira ocorre depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, em maio ter retirado os Estados Unidos do acordo nuclear entre o Irão e as grandes potências mundiais e de ter reinstaurado sanções contra os iranianos.

Relativamente à ligação aérea, a British Airways anunciou que o seu último voo para Teerão será a 22 de setembro, com o regresso a Londres no dia seguinte.

A companhia aérea britânica tinha retomado os voos diretos para Teerão em setembro de 2016, após a suspensão do serviço em outubro de 2012, quando as relações entre a Grã-Bretanha e o Irão se deterioraram.

O Reino Unido, juntamente com os restantes membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – França, Rússia, China e Estados Unidos – e a Alemanha, celebrou o acordo nuclear com o Irão em 2015.

Juntamente com outros países europeus, o Reino Unido disse que pretendia proteger as empresas que continuassem a fazer negócios no Irão, mas muitas desistiram depois da decisão norte-americana abandonar aquele compromisso, em maio deste ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dívida pública está nos 130,3%

Endividamento da economia atinge novo recorde em abril

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, fala perante a Comissão de Trabalho e Segurança Social, na Assembleia da República, em Lisboa, 26 de junho de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 93 mil novas pensões atribuídas até julho

Luís Lima, APEMIP

Imobiliárias temem fuga de clientes com nova lei de combate ao branqueamento

Outros conteúdos GMG
British Airways deixa de voar para o Irão a partir de setembro