televisores

Bruxelas procura software manipulador de testes em televisões

Televisores da Samsung estão a ser analisados pela Comissão Europeia
Televisores da Samsung estão a ser analisados pela Comissão Europeia

Mesmo sem assumir a abertura de uma investigação oficial, a Comissão Europeia está a analisar se há fundamento nas queixas apresentadas na semana passada por vários países em relação ao consumo de televisores, adianta esta segunda-feira a agência espanhola Efe.

O caso remonta a 2011, quando o Reino Unido terá avisado Bruxelas, após encontrar indícios de que alguns televisores podem ter utilizado um software para manipular os consumos energéticos. “A ideia parecia ser passar os testes de medição de luminosidade máxima e redução a luminosidade e o consumo para alcançar uma melhor classificação nas etiquetas de consumo energético”, referem as minutas deste encontro.

A Suécia terá feito o mesmo aviso a Bruxelas, em janeiro deste ano. “Esta é uma maneira de iludir as autoridade de regulação do mercado e a Comissão Europeia devia pronunciar-se sobre isso”, adianta este documento, citado pelo diário espanhol El Confidencial.

O mesmo terá sido referido por laboratórios independentes, que referem “comportamentos diferentes durante as medições”. Não foi provado, no entanto, o uso de um dispositivo pelos técnicos da ComplianTV, à semelhança do instalado em 11 milhões de veículos do grupo Volkswagen.

A análise de Bruxelas deverá servir, por outro lado, para eliminar lacunas legislartivas, proibindo explicitamente o uso destes mesmos mecanismos que detetam quando é que um televisor está a ser testado em laboratório ou a ser utilizado noutros contextos.

A associação não-governamental European Environment Bureau aproveita este caso para salientar o cumprimento de normas de eficiência energética. “Necessitamos de departamentos governamentais bem financiados que possam assegurar um nível de igualdade entre os produtores e que aqueles que façam batota sejam castigados”, adiantou Jack Hunter, líder da organização.

As suspeitas lançadas em relação ao uso de televisores foram lançadas na semana passada após o jornal britânico The Guardian ter adiantado a descoberta de consumos em testes com televisores da Samsung abaixo dos verificados numa utilização diária.

Acusações negadas pela marca sul-coreana, que justifica que reduz o brilho do ecrã em resposta a vários tipos de conteúdo do mundo real, incluindo filmes e desportos com ações muito rápidas e filmagens de ação e desportos mais lentos, tais como relatórios de tempo – não apenas durante as condições de teste

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Bruxelas procura software manipulador de testes em televisões