Cabify deixa de funcionar em Portugal no final da próxima semana

Plataforma espanhola sai do mercado português um ano após entrada em vigor da lei para as plataformas de transportes em veículos descaracterizados.

A Cabify vai deixar de funcionar em Portugal no final da próxima semana. 30 de novembro será o último dia de operações da empresa espanhola que chegou a Portugal em maio de 2016 para concorrer com as plataformas de transporte de passageiros em veículos descaracterizados. A informação começou a ser transmitida aos utilizadores a partir desta sexta-feira.

"O nosso serviço deixará de estar disponível em Lisboa e no Porto a partir de 30 de novembro. Até lá, todos os motoristas poderão continuar a realizar viagens e a obter rendimentos", informa a tecnológica espanhola.

"Assumimos, desde sempre, um firme compromisso em criar um forte impacto positivo nas cidades onde estamos presentes, tendo em vista um modelo de negócio com rentabilidade económica. Neste caso, como resultado de um constante processo de análise das cidades em que operamos, tomámos a decisão estratégica de deixar de ter o nosso serviço operativo em Lisboa e Porto", acrescenta a empresa em nota de imprensa entretanto divulgada.

 

No início deste mês, a Cabify já tinha comunicado o fim do serviço para empresas em Portugal, na sequência de um programa de reestruturação implementado nos últimos meses, noticiou o jornal digital Eco. Este mesmo meio já tinha indicado que a Cabify não estava a conseguir atrair motoristas para a plataforma.

Há mais de 18 mil motoristas certificados em Portugal

Nessa altura, a Cabify tentava sobreviver no mercado português. Daniel Bedoya, responsável pelo mercado europeu da plataforma, falava nas dificuldades da empresa em lidar com os "subsídios" dos rivais Uber, Bolt e Kapten, em entrevista ao Observador.

A Cabify chegou ao mercado português em maio de 2016. Começou a operação em Lisboa com o serviço Lite, em que apenas cobrava por cada quilómetro efetuado e não por quilómetro e ao minuto, como a Uber. Meses depois, em setembro desse ano, a empresa espanhola também começou a fazer este serviço no Porto. Houve ainda um serviço para grupos na cidade do Funchal.

Primeiro ano da lei das plataformas de transporte com “dores de crescimento”

Mais tarde, a Cabify passou a acompanhar a estratégia das empresas rivais e também começou a cobrar cada viagem ao minuto e por quilómetro.

Operadoras de TVDE consideram que lei foi mais-valia para a mobilidade

A saída da plataforma espanhola ocorre um ano depois da entrada em vigor da lei que regulamenta a atividade de transporte de passageiros em veículos descaracterizados. Uber, Bolt e Kapten são as três plataformas em atividade no território português.

A nível mundial, a Cabify funciona em mais de 90 cidades de 12 países, como Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, México, Panamá, Peru, República Dominicana e Uruguai.

(Notícia atualizada pela última vez às 14h59 com mais informação)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de