Inovação

Cadeirão com música ganha Prémio Indústrias Criativas

Prémio Nacional Indústrias Criativas já vai na sua 10ª edição. Fotografia: DR
Prémio Nacional Indústrias Criativas já vai na sua 10ª edição. Fotografia: DR

O vencedor vai representar Portugal na maior competição internacional de indústrias criativas, Creative Business Cup, em Copenhaga

A Horizon 47, que criou um cadeirão com sistema de som incorporado, é o grande vendedor da 10ª edição do Prémio Nacional Indústrias Criativas. Uma parceria da Super Bock e de Serralves que, este ano, premiou, ainda, a Guava, marca de calçado 100% portuguesa e tecnológica, e a Quarteto Contratempus, que criou dispositivos para tornar as artes de palco mais interativas, com o segundo e terceiro lugares, respetivamente.

O vencedor, que ganhou um prémio pecuniário de 15 mil euros, vai representar Portugal, já em novembro, na maior competição internacional de indústrias criativas, o Creative Business Cup em Copenhaga, na Dinamarca. O projeto, que concorreu na categoria Arquitetura e Artes Visuais, permitiu a criação de uma peça de mobiliário inovadora e tecnológica, um cadeirão que incorpora, de forma invisível, um sistema de som para que o utilizador possa usufruir de uma experiência completamente diferenciadora e otimizada à sua medida.

Conheça aqui os projetos finalistas da edição de 2018 do Prémio Nacional Indústrias Criativas

O segundo prémio, no valor de sete mil euros, foi para a Guava Shoes. A marca, totalmente nacional, desenvolvida por Inês Caleiro, concorreu, também, na categoria de Arquitetura e Artes Visuais. Sobressai a geometria e a arquitetura dos saltos altos do seu calçado, com os sapatos a serem feitos à mão, mas aliando o uso de tecnologias com impressão 3D e moldes da indústria automóvel.

O terceiro prémio, no valor de três mil euros, foi para o Quarteto Comtratempus. O projeto, que concorreu na categoria Música e Artes do Espetáculo, potencia o cruzamento entre as artes de palco convencionais e as tecnologias multimédia interativas, através de dispositivos wearable em que a cenografia e o som são manipulados pelos artistas em palco.

A tecnologia, que está já em uso na ópera ‘As sete mulheres de Jeremias Epicentro’, recebeu, ainda, distinção Born from Knowledge (BfK), um prémio promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, através da Agência Nacional de Inovação. Tal como o nome indica, os BfK Awards “celebram o conhecimento científico e tecnológico e respetivo impacto na sociedade”.

A celebrar 10 anos desde o lançamento, o Prémio Nacional Indústrias Criativas Super Bock / Serralves apoiou já mais de 80 projetos “de forma sustentada” de entre as 2156 candidaturas que recebeu. Se nos primeiros anos, predominaram as atividades económicas relacionadas com a prestação de serviços por parte dos projetos candidatos, nas últimas edições “os finalistas têm vindo a apresentar um perfil marcadamente mais tecnológico, com particular incidência para o desenvolvimento de plataformas e aplicações tecnológicas (apps) destinadas às mais diversas finalidades (turismo, indústria musical, alojamento, entre outras)”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Cadeirão com música ganha Prémio Indústrias Criativas