Automóvel

Carros a gasolina superam vendas dos diesel até junho

(Maria João Gala/GI)
(Maria João Gala/GI)

Tendência de compra de automóveis novos inverteu-se no primeiro semestre deste ano. Tesla lidera vendas de carros elétricos.

Os portugueses compraram mais carros ligeiros a gasolina do que a gasóleo no primeiro semestre deste ano, invertendo a tendência na venda de automóveis que se verificava desde 2003. Até junho, o mercado automóvel registou uma quebra de 3,7%, para as 150 688 unidades, segundo os dados da ACAP – Associação Automóvel de Portugal. A Tesla lidera, pela primeira vez, as vendas de carros elétricos.

Dos 128 595 veículos ligeiros de passageiros comprados até junho, 65 797 (51,2%) eram movidos a gasolina; a quota de mercado do gasóleo ficou-se pelos 39,4%, com 50 667 matrículas nesta motorização. Os veículos alternativos já representam quase um décimo (9,4%) do mercado automóvel.

“A compra de mais carros a gasolina do que a gasóleo é um fenómeno europeu que se verifica na Europa desde 2016 e que Portugal está a acompanhar”, assinala Helder Pedro, secretário-geral da ACAP. “A diferença que tínhamos para o resto do continente é que a quota de mercado dos Diesel era bastante grande”, lembra ao Dinheiro Vivo.

O pico de vendas dos carros a gasóleo foi há seis anos: em 2013, praticamente três quartos (72,3%) dos automóveis novos tinha motores diesel; ao mesmo tempo, apenas 25,7% dos motores dos veículos tinham motores a gasolina.

vendas de carros por combustivelA maior sensibilidade das pessoas para as limitações de circulação em várias cidades europeias, para o cumprimento dos limites de emissões, a aproximação do preço da gasolina e do gasóleo nos postos de combustível e o aumento do risco de desvalorização dos carros diesel são argumentos que estão a pesar cada vez mais na hora de comprar o carro e que justificam a inversão da tendência.

Leia aqui: Portugueses estão a pôr mais carros a gasóleo à venda

Tesla lidera elétricos

Os carros totalmente elétricos também são cada vez mais uma opção: já têm uma quota de mercado de 3%, com 3905 matrículas, praticamente o mesmo número registado em todo o ano passado (4073 automóveis). Em apenas meio ano, a Tesla já comanda este mercado, com 1143 matrículas, ultrapassando a Nissan (1049 registos) e a Nissan (547 unidades).

Quebra nas vendas dura há cinco meses

As vendas de carros ligeiros recuaram 4,4% nos primeiros seis meses de 2019. Os portugueses compraram 128 595 unidades no primeiro semestre, o que compara com os 134 561 registos verificados no período homólogo de 2018. Há cinco meses consecutivos que são comprados menos automóveis.

A Renault domina a tabela de vendas, com 18 094 carros vendidos, mesmo que tenha registado uma quebra de 9,3% no primeiro semestre. Nas rivais francesas, os resultados foram em sentido contrário: a Peugeot aumentou as vendas em 1,6%, com 13 696 unidades; a Citroën teve uma subida mais expressiva, de 15,3%, para 8861 veículos.

Entre ligeiros e pesados, o mercado automóvel português recuou 3,7% nos primeiros seis meses de 2019, para 150 688 unidades. O crescimento de 19,8% das vendas de pesados, para 3078 unidades, não travou o recuo de 4,1% nos automóveis ligeiros, para 147 610 matrículas.

“Não esperávamos uma quebra tão acentuada no primeiro semestre. Estamos piores do que na média da Europa”, assume o dirigente da ACAP. A associação automóvel espera que o cenário “melhor um pouco” no resto do ano e contribua para a “estabilidade do mercado”, com os portugueses a comprarem tantos carros este ano como no ano passado.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Taça Portugal - Benfica vs Sporting

Benfica encaixa 50 milhões. SAD fala em “capacidade acrescida de tesouraria”

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva ,à chegada para a reunião da Comissão Permanente de Concertação Social, em Lisboa, 26 de fevereiro de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo mantém todas as restrições na Grande Lisboa por mais 15 dias

Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, (MIGUEL A. LOPES/LUSA)

Governo exige que Bélgica retire Alentejo e Algarve de zonas arriscadas

Carros a gasolina superam vendas dos diesel até junho