Automóvel

Carros elétricos. Smart quer mais incentivos em Portugal

Nova gama smart electric drive. Fotografia: D.R.
Nova gama smart electric drive. Fotografia: D.R.

Apoio de 2250 euros terminou antes do final do prazo em 2017.

A Smart reclama mais incentivos para a compra de carros elétricos em Portugal. A marca de pequenos citadinos do grupo Daimler defende que o Governo devia atribuir mais ‘cheques’ elétricos de 2250 euros para a aquisição destes automóveis e que esgotaram antes do final de 2017.

“Se todos queremos reduzir as emissões e melhorar a qualidade do ar que respiramos, seria importante que o Governo não limitasse os incentivos às primeiras mil unidades. Se o mercado continuar com este desempenho, chegamos a abril/maio e já não temos os incentivos. Seria desejável que perdurassem”, referiu Bernardo Villa, diretor de vendas e marketing da Smart, em conferência de imprensa realizada esta segunda-feira em Lisboa.

Em 2017 foram vendidos 1638 carros 100% elétricos em Portugal, segundo os dados provisórios da ACAP – Associação Automóvel de Portugal. Isto quer dizer que 638 carros não beneficiaram de qualquer apoio estatal.

A marca do grupo Daimler, que detém a Mercedes, diz mesmo que há carros comprados no final de 2017 e que já foram matriculados em janeiro de 2018 para beneficiar do incentivo de 2250 euros do Fundo Ambiental. “Houve 90 carros matriculados já em janeiro”, detalha Bernardo Villa.

O incentivo de 2250 euros para compra de carro elétrico vai manter-se em 2018 para as primeiras 1000 unidades vendidas em Portugal. Este apoio tanto serve para clientes particulares como empresariais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
parlamento

Lei laboral aprovada. BE, PCP e Verdes votam contra proposta do governo

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Obrigações para o retalho atraíram mais de 60 mil investidores

Francisco Lacerda, presidente dos CTT

CTT vai mesmo ter critérios de qualidade mais apertados a partir de 2019

Outros conteúdos GMG
Carros elétricos. Smart quer mais incentivos em Portugal