CEO da TAP: Plano de reestruturação "leva em linha de conta onde estamos e onde queremos ir"

A presidente executiva (CEO) da TAP, Christine Ourmières-Widener, manifestou-se hoje confiante na aprovação por Bruxelas do Plano de Reestruturação da companhia, sendo nessa base que a empresa está a trabalhar.

"Eu acho que todas as indicações que temos do Governo" são as de "que estamos à espera de uma aprovação", ainda que a data não seja "assim tão específica", e "é nesta base que estamos a trabalhar", afirmou a responsável, durante uma intervenção no Portugal Air Summit, em Ponte de Sor (Portalegre).

Nesta cimeira aeronáutica, questionada pelo moderador da sessão em que participou, Christine Ourmières-Widener afirmou que não está à espera que o Plano de Reestruturação da TAP seja rejeitado pela Comissão Europeia.

"Não é uma opção que estejamos a considerar atualmente, com a qualidade da discussão que está em curso, estamos à espera de uma aprovação", frisou.

Na sessão intitulada "TAP -- Desafios para um futuro a voar", que decorreu neste primeiro dia do Portugal Air Summit, a presidente executiva da transportadora aérea nacional, quando questionada sobre os 990 milhões de euros que o Governo prevê transferir para a companhia no próximo ano, lembrou que o montante está previsto já no Plano de Reestruturação.

"O Plano de Reestruturação leva em linha de conta onde estamos e onde queremos ir, por isso, estamos muito confiantes" nesse plano, argumentou.

A TAP está "em constante ligação com o Governo", que "está a liderar o processo junto da Comissão Europeia", por isso, "não há qualquer razão para pensar que este plano não é" aquele "que precisamos para reestruturar a companhia", insistiu.

O Governo vai injetar 1.988 milhões de euros na TAP este ano e em 2022, segundo o relatório que acompanha a proposta de Orçamento do Estado para 2022, mantendo os 990 milhões de euros previstos para o ano, noticiou a Lusa.

Além disso, segundo a proposta, "é previsto no Plano de Reestruturação apresentado à Comissão Europeia, no seu cenário central, que 2022 seja o último ano em que o Estado português injeta dinheiro na TAP, no valor de 990 milhões de euros".

O Governo acredita que "a TAP ficará, assim, devidamente capitalizada para poder prosseguir a sua atividade, contribuindo fortemente para a economia portuguesa".

A 5.ª edição do Portugal Air Summit, promovida pela Câmara de Ponte de Sor e pela empresa The Race, decorre até domingo, reunindo cerca de 200 oradores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de