CGD: Teixeira dos Santos não se arrepende de ter nomeado Vara e Santos Ferreira

O antigo ministro frisou que não é "responsável pelos actos" da administração da CGD liderada por Santos Ferreira.

Fernando Teixeira dos Santos, antigo ministro das Finanças do governo de José Sócrates, afirmou esta quarta-feira que "até este momento" não tem razões para se arrepender de ter nomeado Armando Vara e Carlos Santos Ferreira para a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

"Não tenho razões para me arrepender dessas nomeações", disse aos deputados na segunda comissão parlamentar de inquérito à gestão da CGD.

Mas o antigo ministro frisou que não é "responsável pelos atos" da administração da CGD liderada por Santos Ferreira.

Teixeira dos Santos justificou o pagamento de prémios à administração liderada por Santos Ferreira e Vara, depois de terminado o mandato à frente do banco, com o facto de terem sido cumpridas as orientações dadas pelo acionista Estado na carta de missão do banco público. Adiantou que os prémios foram pagos porque os objetivos da administração da CGD "foram cumpridos e ultrapassados".

Vara e Santos Ferreira acabaram por transitar para a liderança do BCP no início de 2008. Antes, na administração da CGD, aprovaram empréstimos a acionistas do BCP, incluindo José Berardo, para reforçarem as suas posições no capital do banco quando decorria uma guerra de poder no maior banco privado em Portugal.

Atualizada às 21H48 com mais informação

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de