Chamar táxi por aplicação em todo o país até final do ano

Plataforma de transportes Free Now, com descontos nas viagens em veículos elétricos, vai reforçar competição com a Uber.

A partir do final deste ano será possível chamar um táxi por aplicação a partir de qualquer ponto de Portugal. A Free Now prepara-se para juntar estes motoristas à plataforma de transportes, facilitando a vida dos passageiros que precisarem de um carro para se deslocarem dentro das cidades. O alargamento nacional da empresa detida pela BMW e pela Daimler acontece depois do lançamento de descontos para as viagens em carros elétricos.

"Tencionamos chegar ao resto do país até ao final deste ano. Queremos que os táxis possam cobrir as cidades mais pequenas", anuncia o diretor-geral da Free Now em Portugal, Sérgio Pereira.

Esta é a única aplicação de mobilidade em território nacional que junta os motoristas de táxi com os parceiros ligados ao transporte de passageiros em veículos descaracterizados, designados como TVDE.

O alargamento da Free Now a todo o país contará apenas com os motoristas de táxi, que vão receber formação para começarem a prestar este serviço. A Uber também está presente em todo o país desde julho, mas com os motoristas parceiros de TVDE.

Para já, a Free Now está presente em Lisboa, Porto, Algarve, Coimbra, Figueira da Foz e Aveiro. Em ano de covid-19, a empresa ainda está "a tentar perceber se a mudança de comportamentos na mobilidade será a curto ou a longo prazo".

Com um pé no longo prazo, a Free Now tem reforçado a opção pelos carros elétricos nas cidades onde está presente e com os motoristas parceiros de TVDE. As viagens sem emissões têm um desconto entre 8% e 10% face à tarifa normal da empresa.

A medida poderia penalizar os condutores, que receberiam menos rendimentos por deslocação. Só que a plataforma de transportes reduziu a sua margem de lucro para "incentivar os clientes" a usarem esta opção sem condicionar as receitas dos motoristas.

Apesar de o tempo de espera por um carro ser "um pouco superior", os pedidos de viagem "aumentaram 500%" logo na primeira semana em que os descontos foram introduzidos.
Também aumentou, de 50% para 60%, a percentagem de parceiros que admite comprar veículos sem emissões quando chegar a vez de renovar a frota. A opção de viagens ecológicas não abrange, para já, os táxis elétricos que circulam por Lisboa e pelo Porto.

As rivais Uber e Bolt também têm opção para viajar em carros elétricos, mas sem descontos para os passageiros. No caso da Uber, os motoristas parceiros podem aceder a postos de carregamento exclusivos.

Leiria e Évora deverão ser as próximas cidades portuguesas onde será possível usar a plataforma Free Now para chamar um motorista de TVDE.

Na mesma aplicação, é ainda possível encontrar bicicletas e trotinetas elétricas partilhadas nas cidades de Lisboa e do Porto. Devido à covid-19, estes veículos de duas rodas são usados por mais tempo e, em muitos casos, "são o único meio de deslocação entre a casa e o trabalho".

Por conta da diminuição de turistas, os clientes portugueses passaram a representar quase sete em cada 10 utilizadores destes meios partilhados.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de