retalho

Clínicas Twist querem abrir cinco novos espaços até 2025

César Pimentel
César Pimentel

Novo conceito de ortodontia invisível promete preços 30% mais baratos. Espera faturar um milhão de euros no primeiro ano de atividade.

Abrir cinco novos espaços nos próximos cinco anos são os planos para as novas clínicas de ortodontia Twist que acaba de abrir a primeira clínica em Lisboa. Para o primeiro de atividade, os responsáveis antecipam um milhão de euros de faturação.

“No nosso plano de expansão temos previsto a abertura de mais cinco clínicas TWIST nos próximos cinco anos, de norte a sul do país. A nossa expectativa é de abrir novos espaços próprios em Lisboa, no Porto, Braga e Faro. Queremos, dentro de pouco tempo, conseguir revolucionar a ortodontia em Portugal e associá-la a uma experiência gratificante e sem sacrifícios”, adianta César Kelly Pimentel, médico, dentista com prática exclusiva em ortodontia, ao Dinheiro Vivo.

A trabalhar em medicina dentária há várias décadas, e em ortodontia há 20 anos, César Kelly Pimentel (diretor clínico da Alinea Premium Oral Care, no Estoril e Algarve) decidiu avançar sozinho para um “projeto que mudasse a forma como se sente e se vive a experiência da ortodontia e da própria medicina dentária”.

Um projeto de raiz, com uma marca criada pela agência DDB Lisboa, que aposta num novo conceito: “A Twist é a primeira clínica dentária em Portugal exclusivamente dedicada à ortodontia invisível. Deixámos para trás os inestéticos e dolorosos aparelhos fixos de metal, aqui só usamos os alinhadores invisíveis da Invisalign, que foi a primeira marca de shapers invisíveis a surgir no mercado e também a que tem a tecnologia mais avançada, tendo já cuidado do sorriso de mais de sete milhões de pessoas por todo o mundo”, adianta César Kelly Pimentel.

Uma aposta com vantagens com vantagens para os pacientes – “mais-valias na estética, na rapidez, na higiene, entre outras” – e de preço, pois ao adotarem uma “estratégia monoproduto” isso resulta num custo “sensivelmente 30% mais baixo”.

O responsável das clínicas Twist mostra-se otimista com a recetividade do projeto. “Estamos muito confiantes e temos o objetivo de sermos líderes de mercado. Há uma faixa muito larga de portugueses a precisar de cuidados de ortodontia e que, até aqui, não tinham alternativas que fossem conciliáveis com os orçamentos familiares”, justifica. De acordo com o Barómetro de Saúde Oral de 2019, da Ordem dos Médicos Dentistas, 35,7% dos portugueses nunca visitou um dentista ou fê-lo apenas em caso de urgência e 22,8% admite que não o faz por questões financeiras, lembra o médico dentista.

O primeiro espaço abriu em Lisboa, tendo sido criados seis postos de trabalho. “A Twist é um projeto inovador na área da medicina dentária e, como tal, acreditamos que o investimento realizado até agora vai muito além do valor investido na abertura da clínica”, diz apenas o responsável sem adiantar valores de investimento.

Com a primeira clínica foram criados seis postos de trabalho, mas com a abertura de cinco novos espaços até 2025 a expectativa é que esse número cresça para pelo menos 50.

“Estamos muito confiantes e temos o objetivo de sermos líderes de mercado. Há uma faixa muito larga de portugueses a precisar de cuidados de ortodontia e que, até aqui, não tinham alternativas que fossem conciliáveis com os orçamentos familiares. Agora, têm essa possibilidade e, por isso, acredito que a clínica terá uma forte dinâmica”, diz César Kelly Pimentel.

“Esperamos poder atender mais de 500 pacientes neste primeiro ano e temos a ambição de ultrapassar um milhão de euros de faturação. Acreditamos que o retorno do investimento vai acontecer daqui a dois anos, impulsionado também pela abertura de novas clínicas, onde o investimento já não será tão elevado, dado que iremos replicar o conceito e os processos já definidos.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

Clínicas Twist querem abrir cinco novos espaços até 2025