Tecnologia

Cloudflare elege Lisboa para novo centro europeu

Cloudflare

A Cloudflare escolheu Lisboa para um novo centro europeu, que apoiará a operação do quartel-general europeu, em Londres. Recrutamento já arrancou.

Há uns meses, os responsáveis da Cloudflare, empresa que disponibiliza uma rede de distribuição de conteúdo e serviços de segurança na Internet, estiveram em Portugal. A visita tornou-se conhecida através do Twitter e uma fotografia do aeroporto de Lisboa. Meses depois, a Cloudflare oficializa a escolha da capital portuguesa, através de uma publicação no blog da empresa.

Na publicação, assinada por John Graham-Cumming, o CTO da empresa, é referido que a Cloudflare “olhou para 45 cidades em 29 países, elaborando depois uma lista final de três cidades”. Através de comunicado, Matthew Price, o CEO da tecnológica, explica que “abrir um escritório em Lisboa oferece à Cloudflare a oportunidade inestimável de aceder a um novo conjunto de talentos técnicos que nos permitirá levar melhores produtos e serviços ao mercado.”

“A combinação de um grande ecossistema tecnológico em crescimento, uma política de imigração atrativa, estabilidade política, um elevado nível de vida” são algumas das razões apontadas para a escolha de Lisboa para receber este novo centro de engenharia. Além disso, a Cloudflare aponta também questões de natureza logística, como a vantagem do mesmo fuso horário em relação a Londres e a possibilidade de um voo direto para São Francisco, a principal localização da tecnológica.

Em comunicado, o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, destaca a capacidade portuguesa para atrair centros especializados. “Portugal tem conseguido atrair centros tecnológicos cada vez mais especializados e com maior valor acrescentado e a AICEP tem trabalhado ativamente para que estes projetos se concretizem, traduzindo-se em mais postos de trabalho altamente qualificados”.

Leia também | “Portugal tem a melhor fonte de talento da Europa e é por isso que investimos aqui”

A abertura de um novo centro técnico implica ainda a mudança de Graham-Cumming para Lisboa. “Como parte da abertura do novo escritório, vou mudar-me para Lisboa este verão, tal como um pequeno número de colaboradores técnicos de outros escritórios da Cloudflare”, é possível ler na nota.

Ao Jornal de Negócios, o CTO da empresa indica que no final de 2020, espera ter uma estrutura na ordem dos “três dígitos de trabalhadores”. O recrutamento para o novo centro já arrancou, com as vagas disponíveis no site da empresa. Neste momento, estão em aberto dez vagas, ligadas às áreas de apoio a clientes, engenharia, segurança, operações técnicas e estratégia de produto.

Na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) a Cloudflare já conta com 230 trabalhadores. O novo centro em Lisboa junta-se à estrutura de Londres e Munique, a nível europeu. Noutros continentes, a empresa conta também com escritórios em Singapura, Pequim, Sidney, entre outros. A Cloudflare conta com data centers em mais de 180 cidades em todo o mundo.

Nota: Notícia atualizada às 12h25, para incluir declarações de Matthew Price e Luís Castro Henriques.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Mário Centeno 
(EPA-EFE/PATRICIA DE MELO MOREIRA)

Lentidão nos reembolsos fazem disparar IRS em plena crise

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP sem contrato com Estado só tem dinheiro até junho

avião da TAP

PS desafia TAP a corrigir plano de rotas áreas que “lesa interesse nacional”

Cloudflare elege Lisboa para novo centro europeu