fintech

CMVM lança inquérito sobre estado das fintech em Portugal

A presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Gabriela Figueiredo Dias. Fotografia: JOÃO RELVAS/LUSA
A presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Gabriela Figueiredo Dias. Fotografia: JOÃO RELVAS/LUSA

Supervisor dos mercados quer conhecer melhor o ambiente das startups financeiras. Inquérito está disponível até dia 31 de julho.

A CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários – lançou o primeiro inquérito sobre o impacto das startups financeiras (fintech) em Portugal. O documento do supervisor nacional dos mercados “é dirigido a empresas tecnológicas e intermediários financeiros, bem como associações representativas” mas qualquer cidadão poderá preenchê-lo.

“A CMVM acompanha de forma dinâmica e proativa o crescente nível de inovação tecnológica no mercado financeiro e procura através deste primeiro inquérito agregar informação relevante sobre o mercado português com o objetivo de propiciar um enquadramento regulatório e de supervisão coerente com o desenvolvimento financeiro e económico e que, paralelamente, ofereça níveis de proteção adequados aos investidores”, justifica a entidade liderada por Gabriela Figueiredo Dias na sua página da Internet.

O inquérito está disponível até 31 de julho na página da CMVM e poderá ser preenchido a partir desta página.

O documento é lançado num ano em que o supervisor registou a primeira entidade gestora de financiamento colaborativo. A CMVM certificou a Raize como empresa que pode realizar campanhas deste género através de uma bolsa de empréstimos para pequenas e médias empresas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
CMVM lança inquérito sobre estado das fintech em Portugal