media

CMVM levanta suspensão da negociação de ações da Cofina e Media Capital

Fotografia: José Pedro Monteiro
Fotografia: José Pedro Monteiro

O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) decidiu hoje levantar a suspensão da negociação das ações da Cofina e do grupo Media Capital, foi hoje anunciado.

“O Conselho de Administração da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) deliberou […] o levantamento da suspensão da negociação das ações do Grupo Media Capital, SGPS SA e das ações da Cofina – SGPS, SA, na sequência da divulgação de informação relevante”, lê-se num comunicado publicado na página da internet da CMVM.

Em 14 de agosto, o Conselho de Administração da CMVM decidiu suspender a negociação das ações da Cofina e do grupo Media Capital, “aguardando a divulgação de informação relevante ao mercado”, depois do Expresso ter noticiado que o dono da Cofina, Paulo Fernandes, tinha decidido entrar em negociações para a compra da TVI à espanhola Prisa.

O jornal adiantava que o empresário já tinha assinado um memorando com a Prisa há cerca de três semanas, o que lhe garantiu a exclusividade nas negociações.

Naquele mesmo dia, horas depois da suspensão da negociação das ações pela CMVM, a Cofina anunciou estar a negociar com a Promotora de Informaciones (Prisa) a aquisição da participação desta na Media Capital.

No dia seguinte, em 15 de agosto, a Prisa confirmou que mantém negociações em regime de exclusividade com a Cofina sobre a eventual venda da Media Capital, grupo português do setor dos media que detém a TVI.

Hoje, a Cofina anunciou, também em comunicado enviado à CMVM, que está a negociar com a Prisa a aquisição da Vertix, que detém 94,69% do capital social da Media Capital, e admite lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre o grupo.

Em comunicado, a dona do Correio da Manhã revelou que prevê “que a Cofina venha a adquirir à Prisa a totalidade do capital social na Vertix, SGPS, S.A., sociedade comercial através do qual a Prisa detém ações representativas de 94,69% do capital social e dos direitos de voto da Media Capital, ao invés de proceder diretamente à aquisição da participação na Media Capital”.

Neste contexto, a empresa, presidida por Paulo Fernandes, indicou que se encontra “atualmente a rever documentação relativa à Vertix para, em conjunto com a Prisa, concretizar definitivamente o objeto do negócio e, correspondentemente, a respetiva avaliação”.

E a Cofina recordou que “conforme anunciado a 14 de agosto de 2019, a Cofina e a Prisa encontram-se atualmente a negociar, em regime de exclusividade que vigora durante um período de 30 dias, que pode ser prorrogado por vontade das partes, os termos e condições de uma potencial aquisição, pela Cofina, da participação da Prisa na Grupo Media Capital”.

Caso as negociações sejam concluídas “com a celebração de um contrato de compra e venda – que incluirá os termos e condições que venham a ser acordados entre as partes para o negócio” a Cofina irá levar a cabo “simultaneamente a divulgação de um anúncio preliminar de Oferta Pública de Aquisição [OPA] sobre as ações remanescentes da Media Capital”.

Tendo em conta a reduzida liquidez das ações do grupo, a “Cofina antecipa que, caso venha a ser anunciada uma OPA sobre a Media Capital, a CMVM designe um auditor independente para fixar a respetiva contrapartida”.

A presença da Media Capital no panorama da comunicação social portuguesa estende-se à televisão (TVI), audiovisual, rádio, digital, música e entretenimento.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

CMVM levanta suspensão da negociação de ações da Cofina e Media Capital