Dinheiro Vivo TV

Coca-Cola está mais vermelha e ‘mais portuguesa’

A carregar player...

Marca dá novo passo na estratégia de unificação de marca lançada há três anos

Nova imagem, o mesmo sabor é a mensagem com que a Coca-Cola está a chegar a Portugal num novo passo da estratégia de unificação da imagem da marca. O vermelho vai ser a cor dominante em toda a gama de produtos, com as diferentes variedades a serem identificadas com uma faixa no topo da embalagem.

Até domingo as principais 50 lojas de retalho alimentar do país vão começar a ter nas prateleiras as novas embalagens, expansão no retalho e no Horeca que deverá estar concluída até final de janeiro. As novas embalagens Coca-Cola também vão reforçar a mensagem de que este é um produto made in Portugal. “Para o consumidor continua a parecer estranho a Coca-Cola ser produzida em Portugal. Para o consumidor a Coca-Cola é uma marca internacional e é um produto que vem de fora. Aquilo que queremos é a aproveitar a mudança da embalagem e vincarmos muito claramente que somos uma empresa que estamos cá há 40 anos e que queremos cá continuar por outros tantos ou ainda mais”, diz Márcio Cruz, diretor de comunicação e public affairs da Coca-Cola European Partners para Portugal.

Da fábrica em Azeitão, onde o produto é produzido, vão sair embalagens exclusivas para o mercado nacional, onde a origem portuguesa do produto é evidenciada. “Uma das das coisas que queríamos vincar, tendo em conta que a nossa fábrica celebra 40 anos, é que o que que o consumidor está a consumir é um produto produzido em Portugal, que gera emprego em Portugal, que contribui para 0,13% do PIB, contribui para os impostos em Portugal”, reforça o responsável de comunicação do engarrafador. Nesta unidade, que dá emprego direto a 420 pessoas e indireto a 5400 e do qual sai 90% do produto Coca-Cola a nível nacional, a Coca-Cola European Partners comprometeu-se o ano passado a investir 120 milhões em cinco anos.

As novas embalagens vão também reforçar a mensagem do compromisso da Coca-Cola com a reciclagem, contendo a informação de que são 100% recicláveis.

A 14 de janeiro, a Coca-Cola começa a comunicar a nova imagem da marca nos vários media. Em TV com uma campanha de 10 segundos, “muitos simples, explicativa e clara” sobre a transformação da embalagem, frisa Tiago Lima, diretor de relações externas da Coca-Cola Company.

A campanha foi criada pela McCann Madrid para o mercado espanhol e adaptada para o mercado português.

O vermelho característico da marca estende-se a toda a embalagem, sendo a gama identificada com uma faixa de top de cor distinta. As designações também mudam: Coca-Cola Zero Açúcar é agora denominada Coca-Cola Sem Açúcar; Coca-Cola Light passa a Coca-Cola Sabor Light e a Coca-Cola Zero Açúcar Zero Cafeína a Coca-Cola Sem Cafeína Sem Açúcar .

Tiago Lima não revela o valor do investimento da aposta da marca neste novo passo da estratégia iniciada em 2016 de unificação da marca, apenas que “é 30% do budget de comunicação para este ano”. “A expectativa é que as pessoas consigam adaptar-se a esta imagem”, diz diretor de relações externas da Coca-Cola Company quando questionado sobre as expectativas com esta mudança junto aos consumidores.

A marca não adiantou valores de vendas no mercado nacional. “O mercado como todo está estável. Mas a zero é a que mais cresce”, frisa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Coca-Cola está mais vermelha e ‘mais portuguesa’