Coca-Cola. Pandemia faz recuar 22% vendas no mercado ibérico para 2,2 mil milhões 

Queda do turismo e fecho dos cafés e restaurantes afetou resultados da companhia, com as vendas no canal alimentar a não compensar perdas.

A queda do turismo e o fecho dos cafés e restaurantes levaram as vendas da Coca-Cola European Partners no mercado ibérico para uma queda de 22%, para 2,173 mil milhões de euros. No último trimestre os resultados do engarrafador, que tem uma fábrica em Palmela, recuaram 17%, para 517 milhões. Globalmente, no mercado europeu a companhia fechou o ano com vendas de 10,606 mil milhões (-11,5%) e lucros depois de impostos de 498 milhões, um recuo de 54,5%.

"2020 foi um ano desafiante como nenhum outro e estou muito orgulhoso da forma como temos gerido o negócio num ambiente de constante mudança e evolução", diz Damian Gammell, CEO da Coca-Cola European Partners, citado em comunicado.

"A crise também reforçou a nossa colaboração com a The Coca-Cola Company e com os nossos outros parceiros de marca. A nossa visão comum de manter o investimento nas nossas principais marcas tem funcionado muito bem. Ganhámos quota de mercado tanto nos canais modern food (grande distribuição) como no online. Além disso, colocamos em prática medidas significativas para proteger o nosso desempenho, o que nos permitiu terminar o ano com um forte balanço e cash flow. O que nos coloca numa boa posição para recompensar os acionistas, como evidenciado pelo dividendo pago em dezembro passado", refere ainda.

A companhia apresenta um dividendo por ação de 0,85 euros, mantendo um dividendo payout de cerca de 50%, tendo ainda efetuado um plano de recompra de ações - entretanto suspenso - de 130 milhões de euros.

"Enquanto o nosso negócio continua a enfrentar restrições significativas, apesar das quais continuamos a desenvolver a nossa atividade, a crise reforçou a nossa determinação de avançar para um futuro mais forte e mais sustentável. Protegemos o nosso negócio a curto prazo sem comprometer a viabilidade a longo prazo. Isto tem sido possível porque temos continuado a investir especificamente na digitalização, na sustentabilidade e no nosso portefólio. Estes investimentos permitem-nos prestar um serviço excecional e ajudar os nossos clientes e parceiros a avançar mais rapidamente para o nosso objetivo de emissões zero até 2040 e criar oportunidades de crescimento de receitas através de produtos como Costa, Tropico e Topo Chico. Continuamos a ajustar os nossos custos à nova realidade", frisa o CEO.

Mercado ibérico sofre com queda do turismo

No mercado ibérico, o quarto trimestre resultou em receitas de 517 milhões de euros, uma descida de 17% quando comparado com o trimestre homólogo de 2019. "O volume sofreu devido à sua exposição ao canal away from home e à menor afluência de turistas, especialmente em Espanha, onde o canal Horeca tem um maior peso no negócio. O consumo doméstico também foi afetado pela debilidade do canal cash & carry", informa a empresa nas suas contas sobre o mercado ibérico, que inclui Portugal, Espanha e Andorra.

Nesta região, "as receitas por caixa unitária do exercício foram significativamente afetadas pelo mix de canais devido ao encerramento do canal Horeca, bem como pelo mix negativo de embalagens (por exemplo, vidro -48%)", diz ainda a Coca-Cola European Partners.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de