reciclagem

Coca-Cola produz primeira garrafa de plástico a partir de lixo marinho

Foram produzidas cerca de 300 garrafas utilizando entre 20% e 25% de plástico reciclado, proveniente de praias e fundos marinhos de Portugal e Espanha. (Fotografia cedida em comunicado de imprensa)
Foram produzidas cerca de 300 garrafas utilizando entre 20% e 25% de plástico reciclado, proveniente de praias e fundos marinhos de Portugal e Espanha. (Fotografia cedida em comunicado de imprensa)

A marca pretende eliminar o plástico desnecessário ou difícil de reciclar do seu portefólio.

A Coca-Cola apresentou a primeira garrafa no mundo fabricada com plástico reciclado proveniente de lixo do mar. O lixo foi recolhido no âmbito dos Mares Circulares, um projeto de sensibilização da problemática da poluição dos oceanos implementado em Portugal e Espanha.

O trabalho foi desenvolvido em conjunto pela Ioniqa Technologies, Indorama Ventures, Mares Circulares e Coca-Cola. Foram fabricadas cerca de 300 garrafas, utilizando entre 20% e 25% de plástico reciclado de oriundo de praias e fundos marinhos. São as primeiras garrafas no mundo fabricadas com material proveniente de plástico marinho e aptas para serem usadas em alimentação e bebidas.

“Esta inovação demonstra que até o plástico mais degradado do fundo do mar poderá ser transformado em novas garrafas para uso alimentar”, refere a Coca-Cola, em nota de imprensa.

O anúncio foi feito em Londres durante uma jornada em que a Coca-Cola reforçou os seus compromissos e anunciou novos objetivos em relação às embalagens para a Europa Ocidental. A marca pretende eliminar o plástico desnecessário ou difícil de reciclar do seu portefólio.

“As embalagens têm uma função importante, mas devem ser sempre recolhidas, recicladas e reutilizadas. O nosso objetivo, trabalhando em conjunto com os nossos colaboradores, é fazer com que o termo ‘plástico descartável’ se torne obsoleto, conseguindo que todo o nosso plástico e, logo, as nossas embalagens respondam aos princípios da economia circular”, apontou Tim Brett, presidente da The Coca-Cola Company na Europa Ocidental.

“No curto prazo, estas melhorias na reciclagem serão levadas à escala comercial utilizando os canais atuais de reciclagem e incluindo plástico que antes não era reciclável ou era de fraca qualidade. A partir de 2020, a Coca-Cola prevê estender essas conquistas a outras garrafas do seu portefólio.”

A técnica de reciclagem adotada no fabrico destas garrafas baseia-se na despolimerização, um processo químico que permite descompor e melhorar o plástico PET de baixa qualidade, eliminando as suas impurezas e transformando-o em plástico PET de grande valor apto para uso alimentar.

Este ano, a Coca-Cola investiu 180 milhões de euros no desenvolvimento de tecnologia para a pesquisa de embalagens sustentáveis na Europa Ocidental.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

Coca-Cola produz primeira garrafa de plástico a partir de lixo marinho