media

Cofina avança com OPA sobre 100% da Media Capital por 255 milhões

TVI

Prisa confirma acordo e estima perdas de 76,4 milhões de euros com o negócio.

A Cofina confirmou este sábado de manhã que vai avançar com uma OPA sobre a Media Capital SGPSD, depois de “no dia 20 de setembro de 2019, de um contrato de compra e venda de ações com a Promotora de Informaciones, S.A. (“PRISA”), para a aquisição de ações representativas de 100% do capital social da Vertix, SGPS, S.A. (“Vertix”), que é titular de ações representativas de 94,69% (noventa e quatro vírgula sessenta e nove por cento) dos direitos de voto do Grupo Média Capital, SGPS, S.A. ”

A informação foi confirmada em comunicado à Comissão do mercado de Valores Mobiliários (CMVM), divulgado este sábado de manhã.

O documento é um “anúncio preliminar de lançamento de oferta publica geral e voluntária de aquisição de ações representativas do capital social do grupo media capital , SGPS, S.A.”

A informação enviada à CMVM mostra que a dona do Correio da Manhã propõe pagar 2,3336 euros por cada ação da dona da TVI, que não é controlada pela Prisa, e ainda 2,1322 euros pelas mais de 80 milhões de ações que, estas sim, pertencem ao grupo espanhol. A oferta da Cofina chega a um valor de 180 milhões de euros, com a Cofina a assumir ainda a dívida da dona da TVI, na ordem dos 75 milhões. Um total de 255 milhões pela operação.

Além da oferta pelo capital, a empresa propõe-se assumir a dívida da Media Capital. Segundo a Cofina, em comunicado, o acordo com a Prisa para comprar a totalidade das ações que detém na Media Capital valoriza a empresa “em 255 milhões de euros de enterprise value“.

No comunicado enviado à imprensa, a Cofina explica que se o negócio passar no crivo dos reguladores o financiamento “está assegurado através de crédito bancário já aprovado e da realização de um aumento de capital. Excluindo a percentagem do capital em free-float, o aumento de capital está garantido em mais de 50% pelos atuais acionistas de referência, sendo, no entanto, possível que entrem novos investidores com posições qualificadas”.

Segundo foi antes noticiado, o negócio prevê um aumento de capital da Cofina, que deverá rondar os 80 milhões de euros e ser participado pelo empresário Mário Ferreira, da Douro Azul, e pelo banco espanhol Abanca. O comunicado à CMVM indica que esta é uma das condições para a concretização da operação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: ANTÓNIO CARRAPATO/LUSA

Maior credor de Portugal:juros baixos são temporários em países com rating fraco

Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

A grande eficácia das pequenas coisas

Outros conteúdos GMG
Cofina avança com OPA sobre 100% da Media Capital por 255 milhões