moda

Com aspeto velho e sujo. Novos ténis custam 770 euros

Foto: Gucci
Foto: Gucci

Tem um aspeto sujo e desgastado, mas são novos. E custam mais de 700 euros.

A Gucci deu mais um passo ousado no mundo da moda. A marca de luxo italiana tem à venda uns ténis com aspeto usado. O preço? 870 dólares (aproximadamente 770 euros).

Leia também Netflix vai mudar. Saiba as novidades

“Influenciados pelos clássicos treinadores dos anos 1970, os ténis Screener apresentam uma faixa Web de lado e o logo vintage da Gucci, tratados com um efeito ‘usado'”, lê-se na descrição no site da Gucci. A CBS vai mais longe e afirma que esta descrição podia ser bem mais simples e direta. São “ténis sujos”.

Os 870 dólares são apenas o preço inicial. A versão mais cara está disponível por 930 dólares (cerca de 823 euros). Mas se quiser adicionar uma “corrente removível de cristal Art Deco GG” o preço sobre para os 1590 dólares (1407 euros, aproximadamente).

A mais recente peça da Gucci fez tremer a rede social Twitter, com utilizadores a descreverem os ténis como “ridículos” e com “aspeto nojento”. Um até fez referência ao calçado que se pode encontrar nas lojas que vendem artigos em segunda mão e por um preço consideravelmente inferior.

Leia também Navio cheio de Porsches e Audis que valem milhões afunda perto de França

“[Os ténis] parecem basicamente algo que se comprou na Goodwill por quatro dólares”, escreveu no Twitter Bubba Culpepper. “Se eu quiser um par que se pareça assim, vou à Goodwill”.

Outro utilizador disse que ele próprio podia sujar os seus ténis para conseguir um aspeto mais ao seu gosto.

Se nas redes sociais, os ténis foram vistos com desagrado, por outro lado, o site de moda Net-a-Porter, por exemplo, sugeriu que os Screener “ficavam bem com tudo, desde vestidos até ganga”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Com aspeto velho e sujo. Novos ténis custam 770 euros