Tecnologia

Comboio atrasado ou suprimido? Esta aplicação responde

(Leonardo Negrão / Global Imagens)
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Suprimidos.pt é uma plataforma de aviso de comboios suprimidos e atrasados criada por João Pina, o mesmo fundador da página Fogos.pt.

Em véspera de greve de comboios, nasceu uma plataforma para avisar os utentes dos atrasos ou das supressões de viagens. Suprimidos.pt é um site e uma aplicação móvel que informa os clientes em tempo real para estas situações. João Pina – que também lançou o site Fogos.pt – é o criador desta plataforma que funciona em open source e que recolhe a informação disponibilizada na página da Infraestruturas de Portugal.

A plataforma nasceu da experiência diária de João Pina como utente da CP. “Sou das pessoas que utiliza o comboio diariamente para ir para o trabalho. E já me aconteceu mais do que uma vez chegar à estação e ter o comboio suprimido ou com um atraso grande. E passando eu muitos dias por esta situação é uma app que me dá muito jeito a mim, mas também dará a muitas outras pessoas que viajam de comboio todos os dias”, explica o criador em declarações ao Dinheiro Vivo.

O site Suprimidos.pt foi construído por uma equipa de quatro pessoas e dá indicação dos atrasos e supressões em toda a rede ferroviária nacional de transporte de passageiros e até de mercadorias. A aplicação da plataforma, gratuita, já está disponível para o sistema operativo Android e chegará em breve aos utilizadores do iPhone.

Além deste projeto e do Fogos.pt, João Pina integra a equipa da MeshApp, plataforma que transforma conteúdos em websites e apps dinâmicas, que está a ser desenvolvida pela Bright Pixel, o laboratório digital do grupo Sonae.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Comboio atrasado ou suprimido? Esta aplicação responde