Comboios

Comboios perderam 4,5 milhões de passageiros num ano

CP perdeu 4,5 milhões de passageiros
CP perdeu 4,5 milhões de passageiros

A CP transportou no ano passado 107,2 milhões de passageiros, menos 4% em relação a 2012. Apesar da descida no número de passageiros transportados, a empresa salienta que desde o mês de setembro se registou uma “inversão da tendência de quebra” e que nos últimos quatro meses do ano o número de passageiros aumentou.

“A inversão na tendência de quebra de passageiros transportados teve impacto a partir do mês de setembro de 2013, tendo-se verificado nos últimos quatro meses do ano um crescimento médio de passageiros de 2,3%, transversal a todos os serviços da empresa”, refere a CP em comunicado.

Leia também “Após 7 mil milhões em privatizações, chega o maná das concessões”

Em 2013 a CP transportou 107 226 295 de passageiros em todos os seus serviços, menos 4,5 milhões que os 111,7 milhões de passageiros transportados em 2012, “numa significativa redução de quebra deste indicador que se vinha verificando nos úlltimos anos. De facto em 2012 esta redução era de mais de 11%, face ao exercício do ano anterior”, salienta o comunicado da CP.

Segundo a empresa o maior aumento foi sentido no serviço Regional, com mais 6,1% de passageiros transportados, seguindo-se os serviços urbanos do Porto, mais 5.9%. Nos serviços de Longo Curso o crescimento foi de 4,3% e nos urbanos de Lisboa de 0,8%.

Em relação aos proveitos de tráfego verificou-se uma redução de 3,2%, face a 2012, para os 203,95 milhões de euros. A CP destaca, no entanto, a “evolução positiva no período de setembro a dezembro”. Nestes quatro meses a empresa registou uma subida do proveitos na ordem dos 3,1%, com maior relevância nos serviços regionais (mais 7%) e nos urbanos do Porto e Longo Curso (cerca de 5%).

No documento, a CP adianta que os resultados operacionais melhoraram em 45%, situando-se nos 20 milhões de euros negativos, o que significa uma melhoria de 17 milhões de euros face ao ano anterior.

O EBITDA (‘cash flow’ operacional) foi positivo em 23 milhões de euros, mas apresenta uma redução de 12 milhões de euros, face a 2012, “que decorre diretamente da necessidade de resposição de subsídios de férias e natal aos trabalhadores”, refere a CP.

A empresa, que nos últimos anos tem enfrentado uma série de greves, salienta no documento que “estabeleceu como objetivo para 2014 um crescimento anual efetivo do volume de passageiros transportados, para o qual será imprescindível a manutenção do clima de paz social na empresa”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Comboios perderam 4,5 milhões de passageiros num ano