Combustíveis devem descer a 12 de maio

ISP vai ser revisto para a semana porque Executivo se comprometeu a analisá-lo trimestralmente e parece haver margem para descer preços.

O Governo vai rever o Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP) já a 12 de maio, e dado os recentes aumentos da cotação do petróleo e, consequentemente, dos preços finais dos combustíveis, haverá margem para uma descida, tal como prometido pelo Executivo quando decidiu aumentar esta taxa. Contudo, para já, prefere não avançar com nenhum valor.

“Vai haver uma revisão, de acordo com o que foi combinado. Será agora a 12 de maio, mas não vou estar já a acrescentar valores, porque esses são uma estimativa que tem que ser feita com todo o rigor”, disse o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, esta terça-feira de manhã numa vista a três fábricas na zona de Nelas.

O ministro confirma, assim, a data avançada pelo Dinheiro Vivo esta segunda-feira, e que se justifica com o facto de o imposto ter aumentado a 12 de fevereiro e de as revisões serem feitas de três em três meses a partir da entrada em vigor do aumento.

Caldeira Cabral volta também a não indicar quaisquer valores para uma possível descida dos preços, mas segundo as contas do Dinheiro Vivo, também avançadas na segunda-feira, os combustíveis podem descer dois cêntimos já para a semana por via da redução do ISP.

Isto porque desde o início do ano já subiram 11 a 12 cêntimos e o Governo tinha dito que por cada aumento de 4,5 cêntimos no litro de gasolina e gasóleo, haveria espaço para baixar o imposto um cêntimo.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de