Fazedores

Comissão Europeia atribui financiamento a 6 startups

Startups

Há seis empresas portuguesas que vão receber apoio financeiro e técnico no âmbito do projeto-piloto Accelerator do Conselho Europeu da Inovação.

Há seis empresas portuguesas inovadoras que vão receber apoio financeiro e técnico de Bruxelas, no âmbito do projeto-piloto Accelerator do Conselho Europeu da Inovação, anteriormente conhecido como Instrumento para PME-Fase 2, de acordo com o comunicado enviado às redações.

As startups são:

– a Winegrid, de Aveiro, utiliza a inteligência artificial num sistema de sensores de fibra ótica para a monitorização em tempo real das propriedades do vinho durante a vinificação. Receberá 1,59 milhões de euros de financiamento.

– a Nuada, de Braga, desenvolveu uma luva eletrónica inteligente que permite levantar pesos até 40 kg protegendo as mãos do utilizador através de um sistema de tendões artificiais. Destina-se tanto a idosos ou vítimas de AVC como a trabalhadores em atividades pesadas. Receberá 1,7 milhões de euros de financiamento.

– a MyDidimo, de Leça da Palmeira, transforma fotografias em humanos tridimensionais digitais (os «didimos») com múltiplas aplicações em linha, por exemplo para vermos se a roupa que compramos na Internet nos fica bem. Receberá 1,8 milhões de euros de financiamento.

– a Sound Particles, de Leiria, desenvolveu um software para áudio em 3D, com múltiplas aplicações em cinema, jogos de vídeo e música. Receberá 1,2 milhões de euros de financiamento.

– a Pro Drone, de Lisboa, criou um drone capaz de simplificar as operações de inspeção de turbinas eólicas. Receberá 1,3 milhões de euros de financiamento.

– a Cleverly, também de Lisboa, desenvolveu o COALA, um software baseado em inteligência artificial para responder a chamadas telefónicas em serviços de apoio a clientes, resultando em ganhos de eficácia e redução de custos para as empresas. Receberá 1,5 milhões de euros de financiamento.

No total, a Comissão Europeia atribuiu 149 milhões de euros para financiar 83 PME e empresas em fase de arranque (start-up) que vão receber apoio financeiro e técnico no âmbito do projeto-piloto o Conselho Europeu da Inovação (CEI), anteriormente conhecido como Instrumento para PME-Fase 2.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka

Polónia multa Jerónimo Martins em 26 milhões por práticas enganadoras nos preços

António Ramalho, CEO do Novo Banco. Fotografia: Tiago Petinga/Lusa

Novo Banco vendeu seguradora com desconto de 70% ‘coberto’ pela ajuda do Estado

Fotografia: D.R.

Novo Banco. GNB teve idoneidade verificada pelo regulador

Comissão Europeia atribui financiamento a 6 startups