Comissão Europeia vai ajudar financiamento de 300 milhões para o espaço

Comissão Europeia assinou parceria com dois fundos de tecnologia espacial, a Orbital Ventures e o Primo Space.

A Comissão Europeia anunciou esta quarta-feira que irá financiar investimentos de 300 milhões de euros no setor do Espaço, para apoiar "o crescimento de pequenas e medias empresas" e promover a "inovação pioneira na indústria espacial".

As verbas, anunciadas durante a Conferência Europeia do Espaço, resultam de uma parceria entre o executivo comunitário e o Fundo Europeu de Investimento e serão alocadas a dois fundos de tecnologia espacial: a Orbital Ventures e o Primo Space.

Em comunicado, a Comissão Europeia refere que a Orbital Ventures, com sede no Luxemburgo, se foca em tecnologias espaciais que vão das áreas da "geolocalização" e "observação da Terra" à "robótica" e "satélites".

Já a Primo Space, "o primeiro fundo de transferência de tecnologias apenas focado em tecnologias espaciais", encarrega-se de "investir em projetos ou empresas num estado inicial" e promove a "comercialização de inovações pioneiras na indústria espacial europeia".

O comissário para o Mercado Interno, Thierry Breton, saudou o investimento anunciado e referiu que aproxima a Europa "do objetivo da transição digital".

"Promover a concorrência na indústria espacial é um elemento essencial para a recuperação do setor (...) apoiam o desenvolvimento de 'start-ups' europeias no setor do Espaço e mostra que os negócios espaciais europeus estão em crescimento", referiu o comissário em comunicado.

O anúncio surge após a comissária para a Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, ter destacado hoje, durante a Conferência Europeia do Espaço, o "papel importante" que as pequenas e médias empresas no setor espacial têm para a recuperação económica da União Europeia (UE), salientando que são "uma prioridade para o investimento europeu".

"Eu acredito firmemente que as pequenas e médias empresas no setor do Espaço irão ter um papel importante no nosso sucesso. Juntos, podemos emergir mais fortes, mais verdes, mais modernos e basear a recuperação da Europa na sua força maior: as políticas europeias comuns, que se estendem da mais pequena localidade ao Espaço", tinha referido a comissária.

Também o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, qualificou o espaço de "recurso crítico" na transição verde e digital da UE, durante uma intervenção na mesma conferência.

"A ideia de que o espaço é um recurso crítico para a transição verde e digital, e para construir uma resiliência europeia, deve ser muito clara", referiu Manuel Heitor.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de