aviação

Companhias aéreas evitam pagar compensações aumentando tempo de voo

Companhias aéreas aumentaram os tempos de voo nos últimos 10 anos, de forma a evitar pagar compensações a passageiros por atrasos, diz estudo.

Viajar de avião demora mais tempo do que há 10 anos. Isto porque algumas companhias aéreas alargaram o tempo de duração de viagem para evitar pagar compensações por atrasos aos clientes. Desta forma, os passageiros acabam por ter de aguardar mais tempo nas zonas de embarque ou dentro do próprio avião.

A conclusão é de um estudo da Which?, uma plataforma britânica de apoio ao consumidor, que após analisar 125 rotas de várias companhias aéreas, concluiu que há transportadoras que acrescentaram até 30 minutos na duração de um voo, para evitar pagar uma compensação por atraso.

Leia também: Imprevistos com voos? Exija o que tem direito

Mais de metade destas rotas, 61%, ou seja, 76, estão mais lentas do que há uma década. A low-cost Ryanair é um dos exemplos dados no documento: das 11 rotas analisadas, 9 estão mais demoradas do que em 2008. Também a concorrente easyjet entra na contagem. Dos 26 voos estudados, 16 estão mais lentos. Por exemplo, uma viagem entre o aeroporto de Gatwick, em Londres, e o aeroporto de Schönefeld, em Berlim, demora mais 19 minutos.

Na britânica Virgin Atlantic o cenário é idêntico: 9 dos 12 voos analisados demoram mais tempo a realizar o mesmo percurso.

O especialista em gestão de transporte aéreo, Keith Mason, referiu à Which? que este é um comportamento normal uma vez que as companhias aéreas costumam mexer nos seus horários para ganharem algum espaço de manobra. Desta forma, para além de as empresas evitarem pedidos de compensação dos seus passageiros também melhoram os seus registos de pontualidade.

Quando confrontadas com os dados, as companhias aéreas alegaram que este tempo extra é justificados com o aumento do tráfego aéreo e com o facto de quererem reduzir o gasto de combustível.

De acordo com a legislação europeia, as companhias aéreas são obrigadas a pagar indemnizações aos passageiros em caso de atraso, cancelamento ou impedimento de embarque. O valor é calculado tendo em conta a distância do voo, a extensão do atraso na chegada, se é dentro ou fora do Espaço Económico Europeu e a razão que levou ao atraso ou cancelamento. As compensações variam entre 125 euros e 600 euros por passageiro.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Companhias aéreas evitam pagar compensações aumentando tempo de voo